20
Seg, Jan
ptenfres

O “Jornal da Canastra”,em clima de festa comemorará 20 Anos  em abril brindando a população bambuiense e região com um maravilhoso espetáculo de Dança o: “12º Festival de Dança de Bambuí”


A partir do mês de abril, o “Jornal da Canastra” – um exemplo de comunicação impressa e online , de qualidade e editorial se prepara para realização do “12º Festival de Dança de Bambuí”, como parte das comemorações de 20  Anos de existência.

Com um completo plano de mídia que contempla desde cartazes, internet, convite, inserções nas Rádios: Cidade AM, Sucesso Bambuí FM e Transamérica FM, a sua equipe de trabalho desenvolve ações para a divulgação deste grandioso evento que veio para ficar!


O “Jornal da Canastra” brinda seus parceiros, seus assinantes e seus leitores, a população bambuiense e região trazendo  , o talentoso bailalrino , paulistano, Well Oliveira ,  e várias escolas e Cias de dança  que virão de várias cidades brasileiras  e grupos profissionais de Dança para apresentações, no palco do COPEM, nos dias 25 e 26 /04 de 2020


Jornal da Canastra um jornal muito conceituado na região que divulga o turismo, educação, eventos, meio ambiente da região do Circuito da Canastra há 20  2nos, desde a sua implantação, cumpre com o objetivo que se propôs: divulgar, promover e melhorar o turismo e a cultura de Bambuí


“A diferença entre os demais jornais da cidade e região está no processo de uma comunicação mais sadia, mais alegre, mais jovial, com mais entretenimento. O “Jornal da Canastra” traz em suas páginas matérias de autoestima, matérias informativas alegrando o público que as saboreias prazerosamente!


Com uma comunicação mais leve, as matérias são escritas por articulistas com capacidade e com diferenciais em sabedoria e entretenimento.


Para explanar assuntos de moda ,está a articulista Mell Wooman ; política , turismo educação a jornalista Nancy Gonçalves Dias  .Explanação de festas e datas religiosas, a equipe de Turismo .e  assuntos sociais e fechamento de cada edição fica a cargo do jovem Bruno Paulinelli


Com base em conceito moderno, a equipe do “Jornal da Canastra” apostou em tecnologia online implantando em 2002 o site: www.jornaldacanastra.com.br empolgam os bambuiense ausentes lá fora e para falar sobre tudo que se refere a a dança , o site #festival de Dança.

Foi criado recentemente , o site TV Canastra , um canal  recheado de vídeos , fotos e   entrevistas,com pessoas talentosas , no mundo da dança , e profissionais em várias áreas !

O  departamento de marketing promove anualmente o evento: Os "  Melhores do Ano , de Bambuí " para valorizar pessoas que trabalham pelo desenvolvimento e por uma qualidade de vida melhor!  de nossa  querida Bambui; 

A Direção do Jornal da Canastra  patrocina , apoiar e divulga :  atletas, músicos e artistas, trabalhando assim a imagem institucional do jornal .


Que Deus continue nos iluminando durante a nossa trajetória de trabalho para que possamos levar a todos os leitores excelentes reportagens!

E a equipe agradece a todos que cooperam para o sucesso do mesmo!
Até a próxima !

 

 

O nome do foguete, SLS, é uma sigla para Sistema de Lançamento Espacial (Space Launch System, em inglês). Ele é uma parte crucial do programa espacial Artemis, que tem como objetivo levar americanos de volta à Lua até 2024.

A parte que começou a ser testada é conhecida como "estágio principal", uma parte central do novo foguete que vai passar por muitos testes no Estado americano do Mississippi.

Nesta quarta-feira (08), o foguete começou a ser transportado. Ele foi levado para uma enorme barca que o levará, por água, até seu destino final.

O foguete, que será mais alto que um prédio de 30 andares, está sendo construído para a Nasa pela empresa Boeing.
null

 

Um dos administradores da Nasa, Jim Morhard, compareceu ao transporte do estágio do foguete da fábrica, em Nova Orleans, até a barca.
Direito de imagem NASA / Danny Nowlin

Ele disse que o foguete é um "empolgante avanço do programa Artemis" e que as equipes envolvidas estão progredindo bem.

A construção do foguete, que foi anunciada em 2010, foi afetada por atrasados e estouros de orçamento.
Milhões de litros de combustível

Alguns críticos dentro da comunidade de exploração espacial acreditam que seria muito melhor lançar missões de exploração do espaço profundo em foguetes comerciais. Mas apoiadores do programa dizem que a Nasa precisa ter capacidade de impulso para lançamentos "pesados" por conta própria.

Depois de sair da fábrica, o estágio do foguete foi colocado na barca da Nasa chamada Pegasus e viajou em direção ao Centro Espacial Stennis, na baía de São Luís, no Mississippi.

A temporada de testes no centro Stennis é chamada de "Green Run" (corrida verde, em inglês) e vai envolver a operação simultânea de todos os estágios principais do foguete pela primeira vez.

O poderosos motores RS-25 do foguete serão acionados por oito minutos (ou talvez um pouco menos) e testados com diferentes configurações. Isso vai simular os níveis de impulso necessários durante um lançamento de verdade.

O estágio principal do SLS contém dois tanques de combustível — um para oxigênio líquido e outro para hidrogênio líquido. Juntos, eles têm capacidade para 2.7 milhões de litros de combustível para os motores.

Os propulsores do RS-25 são os mesmos do antigo sistema de transporte Orbiter, e o estágio principal do SLS é baseado no tanque externo que alimentava os motores do ônibus espaciais (com modificações consideráveis).

Além do estágio principal do foguete, dois propulsores SRB (Solid Rocket Boosters) vão funcionar em ambos os lados da parte central (veja a figura abaixo).

O foguete vai fornecer o impulso necessário para mandar a nave espacial Orion para a Lua. A Orion é a nave tripulada de próxima geração da Nasa que fará parte do programa Artemis.

O primeiro lançamento do foguete (Artemis-1) deve acontecer em 2021.
Direito de imagem NASA

"Acho que quando o SLS estiver em pleno funcionamento, não vai haver necessidade de outro veículo do tipo por muitos anos. Então, é realmente uma oportunidade que só acontece uma vez a cada geração", disse no ano passado John Shannon, chefe do programa SLS na Boeing desde 2015.

O estágio principal do SLS é a maior parte de foguete que já foi construída na fábrica de Louisiana. É maior, inclusive, que os estágio do foguete Saturno 5, que foram usados no programa Apollo.

"Esse é um momento histórico para o programa Artemis, da Nasa, e de orgulho para a equipe", disse Julie Bassler, gerente das estágios do SLS na Nasa.

Simultaneamente à construção do SLS, a Nasa e seus parceiros completaram a produção da nave espacial Orion para a missão Artemis. Atualmente ela está passando pelos últimos teste na Estação Plum Brook, em Ohio.

Para a missão Artemis-1, a Orion será enviada para fazer uma volta ao redor da Lua para testar suas condições físicas no espaço profundo. Nesse primeira viagem ela não leverá tripulantes.

A primeira missão com tripulantes será a Artemis-2, que deve levar astronautas para um voo lunar.

A Artemis-3, que está planejada para 2024, levará dois astronautas — um homem e uma mulher — para o polo sul da Lua. Será a primeira vez que astronautas pisarão na superfície do satélite natural da terra desde 1972.

O presépio começou a ser montado por D. Maria Elias, carinhosamente chamada de Marilia, no cantinho da sala de sua casa. Cada ano ele tornava-se maior com as oferendas que recebia durante o Natal.
Marilia recebia muitos agrados para o Menino Jesus, dos vizinhos e amigas que iam rezar o terço por ocasião do Natal. Satisfeita ela ia depositando as oferendas: um conhecido, trazia uma estatueta, um ninho de tico-tico, outro, uma casinha de João de Barro, uma raiz em forma de cruz. Marilia ia intuitivamente ornamentando, construindo aquela beleza de presépio que encantava não só as crianças, mas também aos adultos.
D. Marilia doou sua sala para a construção de um presépio e como os Três Reis Magos, muitos vieram trazer suas oferendas ao Jesus Cristinho. Ganhava coisas curiosas de uma gente simples e fez uma linda obra que encantava e tocava os corações de muita gente! Era um resgate a tradição, a vinda de Cristo: uma lição de amor.
O Natal dos presépios é um Natal que remonta um cenário cristão de doação, fé e reverência.
Enquanto escrevo este artigo, lembro-me com saudades do presépio de D. Marilia: passava horas e horas visualizando cada imagem ali colocada. Ela contava-me com a maior alegria e paciência a história do nascimento do Menino Jesus, dos animais que estavam no estábulo na hora do nascimento, e a história dos Reis Magos.
O presépio tinha a forma de uma gruta: aprendi com ela a preparar o papel para dar a impressão de uma gruta (triturava cacos de vidros e jogava-os por cima do papel, onde tinha passado uma cola). Explicava-me como fazia as graminhas de alpiste para nascer dias antes de formar o presépio. Ficava horas e horas vendo com curiosidade as imagens ali colocadas como o Menino Jesus, deitado no meio das palhas, rodeado de São José , N. Senhora iluminados pela estrela guia, juntamente com os animais como: o burrinho, carneirinho, o boi, a vaca , o bezerrinho, assim como: a galinha com os pintinhos, os patinhos na lagoa, sobre um pedaço de espelho, os serralheiros serrando uma tora, a igrejinha colocada lá no alto do morro. As casinhas singelas formando uma vila onde as crianças brincavam no terreiro de uma casa; o monjolo que era movido por uma bica d água caindo da pedreira, em cima da roda d´agua: tudo em miniatura!
Lembranças mais doces de um tempo em que eu acreditava na existência de Papai Noel que passaria pela fresta da janela, no Dia 25 de dezembro, para deixar um presentinho nos sapatinhos das crianças. Lembro-me com carinho da história que ela contava de Papai Noel, uma alusão a São Nicolau. Ele era um santo homem que nascera em 270 ac e morreu em 342, aos 71 anos de idade. "Fez o bem, sem olhar a quem". Ele fundou um orfanato, saciou a fome dos pobres, protegeu marinheiros, ladrões e mendigos. Viveu sobre a égide da caridade. Foi perseguido e preso pelos romanos, por seu amor ao semelhante, tornou-se Santo.
Doces lembranças! Deposito com saudades este artigo, como oferenda ao Presépio de Marilia!
Que Deus a tenha junto de si!

 

O Dia do Diretor, é comemorado em 12 de novembro.

Esta data celebra o profissional responsável em gerir e administrar as decisões da escola, colaborando para construir um bom ambiente para os professores, alunos e demais colaboradores dos colégios.

Para homenagear todos os diretores bambuienses, a equipe do Jornal da Canastra convidou o Diretor do IFMG , Rafael Bastos Teixeira para falar um pouco de seu trabalho à frente do IFMG , Campus Bambuí, MG.
Eis a entrevista! Confira!

Jornal da Canastra - Por favor, sua trajetória profissional

Rafael Bastos Teixeira
Trajetória Profissional:

Cursei pós-doutorado em Produção Animal (EM-BRAPA/ Gado e Leite). Sou zootecnista, mestre e doutor em Melhoramento Animal pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Cursei especialização em Gestão Pública pela Universidade Federal de Lavras (UFLA),
Sou especialista em Julgamento de Zebuínos pela Faculdades Associadas de Uberaba (FAZU).
Desde 2008 sou professor no IFMG- campus Bambuí. Participei de diversos conselhos dentro da administração do IFMG, como por exemplo, o Conselho Superior e o Colégio de Dirigentes. Realiza pesquisa e extensão em colaboração com a EMBRAPA, a FAPEMIG, o INEP, o CNPq e associações de produtores.

JCanastra-Como é estar novamente à frente do IFMG- Campus Bambuí como diretor pela segunda vez? É preciso ter um novo olhar sobre as questões demandadas pelo Campus?

Rafael Bastos - Agradeço a confiança depositada por toda a comunidade acadêmica, pois a segunda oportunidade de estar na direção geral do IFMG- Bambuí chancela um trabalho realizado com muita dedicação. Durante os últimos 4 anos nossa unidade mudou muito, e isso faz parte do natural dinamismo de uma instituição como a nossa. Por isso, um novo olhar é fundamental para que possamos avançar como uma instituição transformadora de vidas.

JCanastra-Quais são as prioridades de sua gestão? Há algum plano de mudanças em curto prazo?

Rafael -Nossa prioridade será continuar a transformar nosso campus em uma instituição baseada na pluralidade de ideias, além, é claro, de nos tornamos uma referência através da modernização das relações insttucionais, a qual envolve toda a comunidade acadêmica. Queremos que os nossos alunos possam estar preparados para encarar um mundo repleto de oportunidades e descobertas pela frente, e cabe à nossa instituição ampliar estes horizontes do saber.

JCanastra-Quais são os principais desafios que tange a humanização do ambiente escolar?

Rafael - A Educação se faz de forma coletiva, pelas trocas de experiências, diante das particularidades culturais. Isso é fundamental para que possamos criar um ambiente escolar realmente inclusivo, sendo o diálogo entre todos os atores envolvidos neste processo a chave para o sucesso institucional. A base do ambiente humanizado, dentro ou fora da escola, é o diálogo, porque é ele quem cria espaços mais justos.

JCanastra-Como intensificar a integração entre a Instituição e a Comunidade em que está inserida?

Rafael - Nossa instituição tem trabalhado constantemente nesta integração com a comunidade a qual o IFMG- Campus Bambuí faz parte, através de diversos projetos nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. Também destaco as parcerias com a Prefeitura Municipal de Bambuí, empresas da região e órgãos estaduais. Dentro do nosso plano de trabalho, gostaria de citar algumas ações em que iremos focar:
- Implantar a TV IFMG - Bambuí;
- Criar conteúdos audiovisuais para divulgação do ensino, pesquisa e extensão;
- Criar o Boletim do Campus;
- Criar o Programa de Inovação “Como Funciona”;
- Implantar a Web Radio;
- Criar página de Egressos do Campus;
- Implantar o Estúdio de EAD no Campus Bambuí do IFMG.
É importante ressaltar também sobre um grande sonho que começa a se concretizar, a nossa ciclovia, que irá facilitar e democratizar o trânsito das pessoas entre cidade e campus. Nos últimos 4 anos trabalhamos muito e faço meu agradecimento especial aos parceiros na construção deste importante projeto: Prefeitura Municipal de Bambuí, Bambuí Bioenergia e Canastra Ambiental. Tenho certeza que ao finalizarmos esta obra, as relações entre o IFMG e a comunidade bambuiense serão bem mais próximas.

JCanastra-Haverá alguma mudança na oferta de Cursos para o próximo ano?

Rafael - Estamos em uma fase de consolidação dos cursos existente em nossa unidade, e modernização dos mesmos. Nos últimos anos tivemos a abertura de dois novos cursos, o Técnico em Administração e o Bacharelado em Medicina Veterinária. No Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do IFMG qualquer um pode verificar quais os cursos que poderão ser abertos em nossa unidade no período de 2019 a 2023. Em nossa unidade temos propostas a nível de graduação, para a Licenciatura em Geografia e Licenciatura em Educação Física, e para diversos cursos a nível de pós-graduação (Lato Sensu e Stricto Sensu). Mas a abertura de novos cursos depende de contratação de servidores, recursos orçamentários e trâmites legais para suas efe-tivações. Por isso, temos muita cautela ao falar sobre novos cursos, devido a complexidade de fatores que envolvem a efetivação dos mesmos.

JCanastra-Considerando a oferta política e econômica do país, quais os desafios para manter, melhorar e consolidar a qualidade do ensino?

Rafael - A gestão da nossa unidade e das demais tem sido um desafio constante nos últimos anos. Neste ano de 2019, completamos 51 anos de instituição e temos provado que ela se fortaleceu ao longo do tempo. No que depender de nós, continuaremos alinhados com um projeto de país que envolve pensamentos e ações bastante complexos sobre o “fazer” Educação. Pensamos muito no futuro e estamos comprometidos com a formação de indivíduos respeitosos.
Aproveito para agradecer a toda comunidade acadêmica, que mesmo diante de um cenário nacional de incertezas e reduções de investimentos, contribuiu de diferentes formas no aprimoramento da nossa qualidade de ensino, na consolidação das atividades de pesquisas, além dos avanços nos trabalhos de extensão. Isto possibilitou o avanço dos nossos estudantes, nosso maior bem, para que pudessem trabalhar sua curiosidade esua busca pelo conhecimento, exercer o espírito investigador e expressar a criatividade que lhe fazem parte.

JCanastra-Qual é o Setor mais importante do IFMG, isto é a “menina de seus olhos” em que você dedicará uma atenção toda especial?

Rafael - Trabalhamos para que todos os setores sejam protagonistas em nossa instituição. Esta nossa forma de enxergar a instituição faz do IFMG-Campus Bambuí uma referência dentro da Rede Federal de Educacão Profissional, Científica e Tecnológica. Cabe à Direção Geral proporcionar um ambiente adequado e agradável para que todos os setores possam atuar de forma conjunta e exitosa. Este conjunto de ações institucionais visa a busca pelo conhecimento nas diferentes formas de aprender e entender este mundo. Por isso afirmo que os setores terão novos desafios pela frente em razão do que somos hoje e do que queremos ser.

JCanastra-Como é gerida a questão financeira no IFMG, Campus Bambuí?

Rafael - Nossa gestão é feita de forma a dar total transparência e publicidade ao nosso orçamento, o qual é construído de forma participativa através do Sistema de Planejamento Part-cipativo (SISPLAN). Ela segue os princípios constitucionais da administração pública: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Temos enfrentado dificuldades com a aprovação da PEC 241 e as constantes reduções orçamentárias desde o ano de 2014, o que limita nossas ações e gera insegurança em relação aos investimentos e à manutenção da estrutura existente. Apesar disso, temos trabalho de forma incansável pelo ensino público, gratuito, de qualidade e interiorizado, e pela consolidação do IFMG-Bambuí como centro de excelência em Ensino, Pesquisa e Extensão

.
JCanastra-Quantos alunos, professores, funcionários tem o IFMG - Campus Bambuí?

Rafael - Com a integralização dos novos cursos, deveremos chegar a 2300 alunos, 147 professores, 138 técnicos e 67 terceirizados.

JCanastra-Se quiser falar algo importante que não foi comentado, sinta-se à vontade para comentá-lo.

Rafael - Gostaria de agradecer ao Jornal Canastra pela oportunidade de falar um pouco sobre a nossa querida instituição.
Deixo o convite para que toda a comunidade venha ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais- Campus Bambuí para conhecer nossas diversas áreas de atuação.
Trabalhamos muito porque acreditamos que a Educação é a maior ferramenta capaz de transformar a sociedade.

JCanastra-Uma mensagem:

Rafael - “O educador se eterniza em cada ser que educa” Paulo Freire, finalizou o diretor Rafael Bastos Teixeira, ao Jornal da Canastra.

Professor Rafael Bastos, a equipe do Jornal da Canastra agradece o seu carinho e atenção por esta excelente entrevista!

Mais Artigos...

Subcategorias

Festival de Dança de Bambuí