05
Dom, Abr
ptenfres

Cota atingida no dia 24 de março não era vista há 3 anos e meio.

 

No relatório divulgado pelo operador nacional de sistema elétrico, o nível do reservatório do Lago de Furnas aparece com volume útil de 57,62% e com nível de 762,29 metros, cota que ultrapassou os 750 metros estabelecidos pela Agência Nacional das Águas – ANA.

A cota 762 trouxe alívio para moradores, empresários e autoridades, já que, mesmo com alto índice de chuvas do início do ano, estavam sendo levantadas suspeitas de que a água da represa estava sendo desviada para outros fins. A desconfiança foi confirmada quando em um documento, enviado por Furnas, ao Senado, o órgão afirmava que a água do lado, além de abastecer outras 11 usinas, estava sendo desviada para a Bacia Paraná/Tietê.

“Eu espero muito que Furnas, que o operador nacional de sistemas e as autoridades de uma maneira geral tenham a compreensão de se manter o nível dessa água e nós vamos continuar cobrando, continuar trabalhando para que essa realidade possa persistir”, afirmou o senador Rodrigo Pacheco.

“Precisamos continuar vigilantes, já que se trata de uma cota que a qualquer momento, se abrirem a represa e os vertedouros , consequentemente as águas do Mar de Minas diminuirão”, disse o deputado Professor Cleiton Oliveira.

O prefeito de Boa Esperança e atual presidente da Associação dos Municípios do Lago de Furnas – Alago, Hideraldo Henrique, “nós queremos muito mais, para que no tempo da seca possamos usufruir do nosso Lago de Furnas, de maneira sustentável”, disse.

“Nós recebemos essa notícia com muita alegria, pois é o mínimo que nós tínhamos que fazer, ou seja, deixar uma cota mínima para que dê segurança aos investidores, para que eles possam retomar seus investimentos e para que os municípios possam retomar suas atividades da gastronomia, da hotelaria. Nós esperamos que isso seja mantido. Precisamos que ainda seja preservado esse volume e que ele suba mais, pois assim toda região fomenta suas economias. Queremos ressaltar ainda que continuaremos vigilantes e lutando sempre pelo lago, um dos maiores patrimônios do povo mineiro”, disse o vereador de Varginha, Leonardo Ciacci, que vem trabalhando em defesa da cota mínima.

 

 

Dificuldades

 

O Lago de Furnas abrange 34 cidades mineiras numa extensão de 1.406 quilômetros quadrados, sendo um dos maiores lagos artificiais do mundo – a orla do lago tem 3.500 quilômetros de perímetro e é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara. Mas, nos últimos anos, o que era para ser um mar de água doce hoje, infelizmente, se tornou um cenário de abandono e de pouco caso por parte do Poder Público Federal. Hotéis, pousadas, ranchos e outros empreendimentos turísticos e náuticos sucumbiram diante do baixo volume de água do lago e houve queda no número de visitantes.

 

Mais de 300 empreendimentos foram construídos às margens do Lago de Furnas desde a sua criação. Na época, foi necessário inundar uma grande quantidade de terras, o que forçou a retirada de 35 mil pessoas das regiões que ficaram inundadas.

Fonte: Correio do Sul

Produtores rurais mineiros enfrentam obstáculos para produzir e escoar alimentos. Sistema FAEMG levanta os problemas e busca soluções

 

 

O impacto da pandemia do coronavírus no campo é crescente e preocupante. Por isso, as equipes do Sistema FAEMG têm acompanhado o que está ocorrendo nas cadeias produtivas e buscado soluções para ajudar os produtores rurais. Entre os problemas mais graves, está a dificuldade de comercialização por causa do fechamento de bares, restaurantes, empórios e outros estabelecimentos. Essa é a situação tanto o produtor de queijo Ivair José de Oliveira, de São Roque de Minas (Serra da Canastra) como a do piscicultor Rodrigo Borges Botrel, de São José da Barra (Furnas).

Com o fechamento do comércio, as vendas do Ivair caíram mais de 80%. A logística para distribuição ficou complicada. E ainda não tem recebido pagamentos por queijos já entregues. Com isso, foi forçado a reduzir a produção, diminuir o salário dos colaboradores e não sabe o que vai fazer para pagar os empréstimos que estão para vencer.

Já Rodrigo Borges Botrel, da Fazenda Grotão – Piscicultura Barra Velha, observa que, além de ter perdido clientes, está com dificuldades para receber a ração para peixes e teme pela redução drástica dos preços causada pela da alta na oferta (tinha produtor segurando filé de tilápia para vender na Semana Santa e já começou a liberar por não ter para quem vender). Diante disto, ele se preocupa em como vai manter a criação nos tanques-rede para ter peixe para vender no fim do ano.

“Estamos isolados na roça nesta situação difícil. Estou vendendo um pouco de leite, mas não é suficiente. A queijaria está cheia e estamos sem saber o que fazer. Está triste.”

Ivair José de Oliveira, proprietário do Queijo do Ivair

“Com o coronavírus, fechou tudo e o turismo acabou. A ração não está chegando e ficaremos sem peixe com peso adequado, o que é ruim. Está na época de chegar a produção do Paraná, que vai aumentar a oferta e derrubar os preços. Também precisamos de linhas de financiamentos, do BNDES, por exemplo, para atender à piscicultura. Sem isso, muitos produtores, principalmente os pequenos e médios, vão quebrar.”

Rodrigo Borges Botrel, sócio da Piscicultura Barra Velha

“Ainda é cedo para estimarmos todas as perdas econômicas do agronegócio no estado em decorrência da pandemia do coronavírus. Mas seguiremos fazendo levantamentos dos problemas junto às cadeias produtivas para buscarmos as melhores alternativas e soluções para os produtores rurais mineiros.”

Aline Veloso, coordenadora da Assessoria Técnica do Sistema FAEMG

 

AÇÕES

- O Sistema FAEMG tem participado ativamente de articulações junto à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) para apresentar as necessidades dos produtores rurais mineiros ao Comitê Extraordinário Covid-19 de Minas Gerais.

 

Resultados de articulações:

Retorno das feiras livres, que são canais de comercialização dos produtores rurais, com adequações necessárias e orientação aos agricultores. Em Viçosa, feiras de quarta e sábado já foram retomadas.
A partir de solicitações do Sistema FAEMG, o deputado estadual Coronel Henrique, presidente da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembleia Legislativa, protocolou vários pedidos com demandas dos produtores. Entre elas, a inclusão da vacinação contra gripe como prioritária para funcionários de laticínios, cooperativas e outras agroindústrias, como aves e suínos.
Encaminhamento de solicitação à Seapa e aos Ministérios da Agricultura e da Educação para dar continuidade aos programas de compras da agricultura familiar, para alimentação escolar e programa de aquisição de alimentos (PAA). Foram liberados produtos às famílias das crianças que estudam nas escolas públicas.
Possibilidade, pelo Ministério da Agricultura, da dilatação do prazo de validade da DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf) por 180 dias.

- A Assessoria Jurídica da FAEMG vem orientando os Sindicatos de Produtores Rurais e agricultores em casos de cerceamento/barreiras que podem impedir o transporte de insumos e alimentos, em decorrência de decretos municipais de isolamento. A manutenção do abastecimento, principalmente de perecíveis, e o transporte de cargas vivas de animais, assim como de insumos, não podem ser interrompidos por se tratarem de necessidades imprescindíveis à manutenção do suprimento da população.

- Foram feitas articulações junto à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) para que sejam tomadas medidas de prorrogação de dívidas e aumento do crédito rural, e para revisão de questões tributárias. A CNA complementou as ações e solicitou providências aos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Economia e da Infraestrutura.

- Foram solicitadas adequações de linhas do BNDES para também atenderem ao crédito rural, com ampliação de recursos, e para contemplar a atividade rural.

- Banco do Brasil, Sicoob Crediminas e Banco do Nordeste foram contatados para enviar informações sobre linhas de crédito emergenciais que possam atendera os produtores rurais e canais nos quais podem ser acessados.

- A Assessoria Jurídica do Sistema FAEMG está orientando sindicatos e produtores com relação a questões trabalhistas na atividade rural.

- Foi desenvolvida cartilha do Sistema FAEMG com orientações para combater o coronavírus nas propriedades rurais.

- O SENAR ampliou as vagas para os 70 cursos on-line disponíveis (http://ead.senar.org.br/cursos/) e oferece a Estante Virtual, com cartilhas usadas nos mais diversos tipos de capacitações (https://www.cnabrasil.org.br/senar/colecao-senar).

- Aulas on-line do Curso Técnico de Agronegócio (Rede E-tec) permanecem inalteradas. Alunos deverão ser informados sobre o recebimento de vídeo-aulas enquanto não há previsão para retorno das aulas presenciais.

- Foi criado canal para o contato direto com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), sobre problemas com a saúde e produção no meio rural. O Whatsapp é o (61) 93300-7278. O canal de atendimento do Sistema FAEMG é o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

IMPACTOS NO AGRONEGÓCIO MINEIRO

CAFÉ

- Ainda sem impactos diretos, mas é sensível às oscilações do dólar e das bolsas.

- Temor de alta nos custos de produção.

- Pode ser observado aumento do consumo doméstico.

- Preocupação com a colheita que tem início entre abril e maio, principalmente nas áreas de montanha, que é majoritariamente manual.

CANA

- Safra mais açucareira.

- Algumas usinas estão se mobilizando para produção de álcool gel.

- Redução no preço do petróleo está causando impactos diretos, tanto no direcionamento das usinas para produção de açúcar, quanto nos preços do etanol.

FRUTICULTURA

- Ainda não teve grandes impactos. Pode haver problemas pontuais na comercialização.

- Aumento de custo de produção com utilização de câmaras frias, em casos pontuais.

- Descarte de produtos muito perecíveis e queda de preços, também em casos específicos.

- Plantios, continuam acontecendo normalmente com receio em relação ao escoamento da produção – no médio prazo.

OLERICULTURA

- Tendência de redução da comercialização devido à diminuição na procura, em decorrência do fechamento de estabelecimentos, por causa de decretos de isolamento.

- Ainda não há registro de falta de produtos na Ceasa. Oferta segue normal.

- Para flores, o consumo menor leva à maior necessidade de uso de câmaras frias. Com isto, pode aumentar o custo de produção (energia elétrica).

PECUÁRIA DE CORTE

- Há frigoríficos que suspenderam os abates. O Minerva, em Janaúba, por exemplo, interrompeu os abates até 13 de abril. Há relatos de fechamento de plantas menores, em Januária e Teófilo Otoni.

- Cancelamento de eventos agropecuários.

- Cancelamento de leilões presenciais.

LÁCTEOS E OUTROS

- Pequenos laticínios anunciaram a interrupção ou redução da captação de leite em algumas regiões, como Zona da Mata, Sul de Minas/Mantiqueira, Leste e Norte de Minas.

- No momento, ainda estão conseguindo vender para outros laticínios.

- Produtores de queijos (de todas as regiões), apicultores e aquicultores estão com dificuldades de comercializar e distribuir a sua produção.

- O fechamento de bares, restaurante e estabelecimentos diversos prejudicou o planejamento de produção e comercialização.

- Produtores de queijo veem, como solução paliativa, a diminuição momentânea da produção de leite e, consequentemente, de queijo.

- Dificuldade para receber insumos, ração, por exemplo.

 

 

A Justiça determinou que um hospital pague R$ 80 mil a um homem que contraiu o vírus HIV após receber transfusão sanguínea. A decisão é da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que reformou parte da sentença da Comarca de Virginópolis.

O homem relata que, em maio de 2012, envolveu-se em acidente automobilístico, sendo encaminhado para o hospital do Município de Guanhães, onde foi submetido à transfusão. Em agosto do mesmo ano, ao realizar exames de rotina e preventivos, se surpreendeu com a notícia de que era portador do HIV.

Como a esposa e o filho, que na época contava com cinco meses de idade, não eram portadores do vírus, ele concluiu que a contaminação provavelmente ocorreu devido ao procedimento, feito alguns meses antes. O homem então ajuizou ação contra o hemocentro requerendo indenização por danos morais.

Sentença

O juiz Vinícius Pereira de Paula, da Comarca de Virginópolis, região do Rio Doce, sentenciou o hemocentro ao pagamento de R$ 100 mil ao paciente, a títulos de danos morais.

A instituição recorreu, alegando que fez todos os testes exigidos, sendo que as bolsas de sangue vieram de doadores confiáveis, com histórico de doações e exames de sorologia negativos.

Também de acordo com o estabelecimento, o profissional de saúde e o hospital em que o homem estava são responsáveis pelos serviços que oferecem, e têm o dever de prestá-los de forma satisfatória, a fim de evitar que o paciente contraia qualquer doença com a transfusão.

Por fim, o hemocentro alegou que, uma vez que o autor da ação não foi submetido a exame clínico antes da transfusão para constatar a presença do HIV, não se pode afirmar que tenha adquirido o vírus durante o procedimento. Assim, o estabelecimento não poderia ser responsabilizado pelas ocorrências clínicas do paciente.

Acórdão

O relator, desembargador Corrêa Junior, deu parcial provimento ao recurso do hemocentro, reduzindo o valor da indenização para R$ 80 mil.

Para o magistrado, a reparação, mesmo sendo de natureza puramente subjetiva, deve respeitar os parâmetros objetivos, a fim de que seja resguardada a proporcionalidade da imposição, evitando-se o enriquecimento sem causa.

O relator afirmou, também, que existem diversos medicamentos que ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico e a aumentar o tempo e a qualidade de vida das pessoas que convivem com o vírus. Dessa forma, ainda que não haja uma cura para a Aids na atualidade, existe um tratamento hábil a controlar a moléstia.

Por esse motivo e por não haver comprovação concreta do constrangimento especificamente em virtude da doença, a indenização foi diminuída para R$ 80 mil.

Acompanharam o voto do relator a desembargadora Yeda Athias e o desembargador Audebert Delage.

Para preservar os envolvidos, o acórdão e a movimentação não serão divulgados.


Assessoria de Comunicação Institucional -- Ascom
Tribunal de Justiça de Minas Gerais -- TJMG

 

A Dra. Hellisse Bastos dá dicas de procedimentos que podem ser feitos em casa para ficar com a beleza em dia mesmo estando em período de quarentena.


Com a pandemia do novo coronavírus, clínicas estéticas, spas e salões de beleza foram obrigados a encerrar as atividades temporariamente, seguindo recomendação do Ministério da Saúde, para garantir a segurança de todos. Além disso, muitas mulheres estão cumprindo a quarentena e evitando deslocamentos para fora de casa. No entanto, isto não é motivo para descuidar da beleza e da saúde.

A Dra. Hellisse Bastos é dermatologista e especialista em estética afirma que mesmo sem poder ir à clínica ou spa, existem cuidados simples que podem fazer toda a diferença neste momento da quarentena para estar com a beleza e a saúde em dia: “cuidar da beleza também é cuidar da saúde, pois inclui hábitos de higiene, treinos físicos e nutrição, o que só faz bem. Além disso, a estética tem a ver com a saúde mental, a autoestima, o equilíbrio emocional de todas nós. Se sentir bem e confortável na própria pele é fundamental, corpo são e mente sã.”

Confira as 10 dicas da Dra. Hellisse Bastos para cuidar da sua beleza e da sua saúde em casa durante a quarentena, elevando a sua autoestima e cuidando do seu bem estar

1- Não durma mais que o necessário

Dar lugar à preguiça e dormir mais de 8h por dia traz desequilíbrio hormonal, leva a mal humor, causa edema facial e bolsas embaixo dos olhos. Ideal é ter de 6h a 8h de sono por dia e acordar de forma natural, ainda com algum sono. Após o almoço, é bom tirar uma soneca por no máximo 20 minutos.

2- Treine o seu humor

As risadas têm propriedades neuroquímicas e fisiológicas que diminuem o estresse, assim como marcadores inflamatórios e tem o poder de aumentar sua energia e beleza.

Rir é um bom remédio para muitos males e libera serotonina no organismo, importante neurotransmissor que mantêm a saúde mental e o equilíbrio do humor. Logo, se permita rir e se divertir mesmo na quarentena, espantando o estresse e o mau humor, que elevam o cortisol e causam inchaço e retenção de líquidos.

3- faça sua limpeza corporal com autoconsciência

Preste atenção a textura , cor e cheiro da sua pele, cabelo e unhas durante o banho. Não empregue força demais na hora de esfregar a pele do corpo e, caso queira fazer uma esfoliação, use materiais e produtos adequados para fazer isto.

Pense na sustentabilidade na hora de fazer a higiene bucal e tomar o seu banho.
Quando for retirar os esmaltes das unhas, tenha em mente a atenção de estar sempre limpando os cantinhos das unhas

Faça esfoliação dos pés com movimentos de auto-massagem.

4- Invista mais tempo cuidando de si

Aproveite o confinamento para fazer tudo aquilo que talvez a sua rotina não permitisse fazer com frequência. Passe um bom hidratante após o banho no corpo, nos dedos e nas unhas fazendo auto massagem. Retire toda maquiagem e fique um tempo sem usá-la, para descansar a pele. Como não irá sair à rua, não precisa estar maquiada todos os dias. O uso contínuo da maquiagem obstrui os poros.

5- Movimente-se todos os dias para liberar o fluxo energético.

Água parada dá dengue e do mesmo modo nosso corpo não foi feito para ficar o tempo todo em repouso. É preciso manter o corpo em movimento para liberar o fluxo energético, ajudar na circulação, diminuir a retenção hídrica, eliminar toxinas e mantém o metabolismo em ordem.

Diga não à tentação do sedentarismo durante a quarentena e procure uma atividade para fazer em casa, mesmo que de curta duração.

6- Crie rotinas

A quarentena pode ser um apelo tentador para o desleixo. Contudo, é preciso se doutrinar para enfrentar este período sem descuidar da saúde e da beleza. Costumo categorizar por letras do alfabeto as atividades.

A: Corpo - autocuidado com pele, cabelos e unhas principalmente com :
Limpeza
Esfoliação
Hidratação

B: Mente - Autoconhecimento
Leituras,
Filmes
Jogos e atividades

C: Atividade física
Evitar o sedentarismo
Estar sempre em movimento

D: Almoçar/ soneca
Tirar 20min de sono após o almoço
Evitar dormir demais durante a noite
Regrar horários de dormir e acordar

7- Preste atenção na sua alimentação

Evite alimentos hipercalóricos, que sejam ricos em açúcar, assim como diminua o consumo de processados e industrializados . Esse hábito é altamente deletério para nossa saúde e beleza e provoca diversos processos inflamatórios, inclusive na pele e cabelos.

8 - Pratique o jejum intermitente

Estimula sua imunidade é super antioxidante e favorece processos anti-inflamatórios do corpo.

9- acrescentes chás relaxantes e desintoxicantes à sua rotina

Invista em acrescentar à sua alimentação a ingestão de chás tipo Melissa, carqueja, dente de leão, lavanda e valeriana.

10- faça procedimentos de renovação da pele

Adotar a esfoliação e a limpeza de pele ajuda e muito a melhorar não somente o aspecto, mas também a prevenir acne, manchas, poros, rugas.

Consulte um dermatologista e tenha um profissional especializado na saúde da sua pele para chamar de seu, que te acompanhe e cuide de você presencialmente ou telepresencialmente pela internet.

 

Mais Artigos...

Subcategorias

Festival de Dança de Bambuí