01
Qui, Out
ptenfres

Meu último presente
                              - por Gilson Bifano

 

Hoje é o dia dos pais e quero compartilhar um texto maravilhoso que li essa semana e exprime muito bem o meu sentimento quanto a esse dia.

Neste dia dos pais quero presentear os leitores com um texto que jamais irá envelhecer e desbotar, pode ser lido este ano ou em qualquer ano e continuará tão atual quanto hoje!

Se você ainda tem o seu pai não lhe dê só presentes físicos, mas um beijo, um abraço, um carinho, diga que o ama, que ele é importante na sua vida…
Dia dos Pais…

Dia dos Pais é um dia especial na vida de todos nós. Dia de dar e receber presentes, beijos, abraços e expressões de afeto.

Lembro-me, perfeitamente, do último presente dado ao meu pai. Naquele 13 de agosto de 1995, com meu pai internado em um hospital, em estado quase terminal, perguntei a mim mesmo: Que presente darei ao meu velho? Um pijama, uma sandália? Não tinha opções. Meu pai já não podia mais levantar da cama, vitimado pelo câncer. Confesso que fiquei angustiado com a situação. Com o coração pesado, me dirigi para o hospital sem nenhum embrulho nas mãos. Sabia que aquele era o último Dia dos Pais que passaria com ele. Entrei no quarto, um tanto quanto triste, e vi aquele semblante já bastante abatido, cansado pelas lutas com a doença que consumia seus ossos. Mas logo pude perceber qual poderia ser o meu último presente. Sua barba, ainda por fazer, era uma oportunidade perfeita para expressar o meu afeto naquele dia especial. Com carinho, comecei a fazer-lhe a barba. Cada ato era um presente que lhe oferecia. Eu já estava acostumado com aquilo, mas aquele dia foi diferente. Depois de terminado, passei a loção, enxuguei o seu rosto e beijei sua face, e falei que aquele dia era o Dia dos Pais.

Treze dias depois, meu pai veio a falecer. Passados quase dois anos, aquele gesto me faz pensar que foi o presente mais significativo que dei ao meu pai. Nunca esquecerei aquela tarde, naquele quarto de hospital. O meu último presente não teve um embrulho especial, não foi comprado em um shopping, não paguei nada por ele. Aquele foi um presente do coração, da alma. Às vezes, os melhores presentes não custam nada. Apenas um gesto de amor, um abraço gostoso, uma palavra de carinho, um silêncio solidário, um olhar de ternura, um elogio sincero. São presentes que nascem em um coração que ama.

No Dia dos Pais, procure esses presentes que estão escondidos no fundo do seu coração. Procure presentear o seu pai com perdão, sua aceitação (nossos pais não são perfeitos!), com um abraço, uma declaração de amor, uma palavra de gratidão. Tenho a certeza que o seu pai vai gostar, mas você será o maior beneficiado. Você se tornará mais gente, mais humano, mais parecido com Cristo. Ele, que através de gestos de amor, toques de bondade, evidências claras de humildade, soube conquistar corações.

A você, papai, nossos parabéns!
Que você valorize mais esses presentes.

A você, filho, desejo que tenha muitos “Dia dos Pais” e que cada um destes dias, bem como os demais, sejam uma eterna e doce recordação, independente das circunstâncias.

Parabéns aos Pais bambuienses , de coração, as equipe do Jornal da Canastra parabeniza todos os pais por essa data especial e festiva!

Que Deus derrame suas bençãos a todos vocês !

Um caso que está chocando o mundo aconteceu em Minneapolis, uma cidade do estado do Minnesota, nos Estados Unidos. Um vídeo, divulgado nas redes sociais, mostra a operação policial em que um agente imobiliza George Floy , um homem negro que foi desarmado pelo policial Derek Chauvin! Com um joelho em cima da garganta de Floy , o policial asfixiou-o provocando a sua morte. Os quatro polícias envolvidos foram despedidos na madrugada de quarta-feira
E dever de todos, lutar pela efetivação dos direitos humanos !
A Lei dos Direitos Civis de 1875 proibiu a segregação racial, mas mesmo assim , a discriminação e a segregação vem ocorrendo há séculos, nas Américas. Infelizmente a ideologia da supremacia branca tem produzido violência sistematizada contra negros.
No sul dos Estados Unidos, a partir de 1876, aprovaram-se leis de segregação em escolas, transportes públicos, locais públicos, restaurantes, hotéis, teatros e em todos os locais da esfera pública. Tais leis foram legitimadas pelo poder executivo e pela Suprema Corte norte-americana, . A população negra ficou privada de direitos fundamentais básicos, essenciais para a existência humana. Nesse triste e lamentável contexto, o negro não era reconhecido como pessoa humana, uma vez que nem mesmo tinha direito ao voto, educação, saúde, e reconhecimento, questões fundamentais para a vida. A violência aos negros não tinha limites. Os brancos praticavam à luz do dia, todo tipo de violência contra os negros até linchamento público!O desprezo, a crueldade e a desumanização são traços que marcam a vida dos negros há centenas de anos naquele grande e próspero país.
A luta contra as leis de segregação foi intensa, duradoura e corajosa: associações e movimentos, além de personagens importantes, como Martin Luther King, lutaram incansavelmente para que tais leis fossem revogadas e eliminadas da legislação. Apenas no ano de 1954 é que a Suprema Corte americana reconheceu que segregação em escolas públicas era incompatível com a Constituição. Contra a vontade dos brancos do Sul, a Lei dos Direitos Civis de 1964 foi implementada e deu continuidade a desagregação, seguida pelo direito ao voto, em 1965. Evidentemente, trata- se de uma relevante conquista, se considerarmos o fato de que o racismo, embora continuasse presente, não tinha agora o apoio da Lei. Havia ainda muito caminho a ser percorrido. A luta estava apenas começando.
A Declaração de 1948 é fundamento básico e influente na luta contra o racismo. Já no ano de 1965, a Organização das Nações Unidas (ONU) adotou a Convenção Internacional sobre a eliminação de todas as formas de discriminação racial. Essa convenção tem enfatizado, que “qualquer doutrina de superioridade baseada em diferenças raciais é cientificamente falsa, moralmente condenável, socialmente injusta e perigosa, inexistindo justificativa plausível para discriminação racial”.
Os entraves sociais provocados pelas leis de segregação racial nos EUA e o virulento racismo delas decorrente só começariam, de fato, a ser ao menos parcialmente resolvidos como os movimentos de luta pelos direitos civis dos negros. Um dos líderes desses movimentos tornou-se símbolo dessa luta: Martin Luther King Jr . No dia 28 de agosto de 1963, em Washington, no famoso discurso “Eu tenho um Sonho”, Martin Luther King afirmou: “Não haverá descanso nem tranquilidade na América enquanto ao negro não forem concedidos seus direitos de cidadão. Os turbilhões da revolta continuarão a abalar os alicerces do nosso país até emergir o dia luminoso da justiça”.
Neste momento, o mundo está enfrentando uma grande batalha contra o covid-19 ! Com a ajuda de Deus venceremos mais esta batalha, assim como muitas ,de toda espécies, já foram vencidas , em tempos passados !
Precisamos continuar batalhando por um mundo melhor ,onde haja mais justiça ,mais igualdade , quesitos essenciais para uma sociedade democrática e promoção da dignidade humana.
Liberdade , igualdade entre raças, direito de ir e vir, liberdade de expressão deverão ser a marca principal da nossa nação brasileira !

Até a próxima!

O “Jornal da Canastra”,em clima de festa comemorará 20 Anos  em abril brindando a população bambuiense e região com um maravilhoso espetáculo de Dança o: “12º Festival de Dança de Bambuí”


A partir do mês de abril, o “Jornal da Canastra” – um exemplo de comunicação impressa e online , de qualidade e editorial se prepara para realização do “12º Festival de Dança de Bambuí”, como parte das comemorações de 20  Anos de existência.

Com um completo plano de mídia que contempla desde cartazes, internet, convite, inserções nas Rádios: Cidade AM, Sucesso Bambuí FM e Transamérica FM, a sua equipe de trabalho desenvolve ações para a divulgação deste grandioso evento que veio para ficar!


O “Jornal da Canastra” brinda seus parceiros, seus assinantes e seus leitores, a população bambuiense e região trazendo  , o talentoso bailalrino , paulistano, Well Oliveira ,  e várias escolas e Cias de dança  que virão de várias cidades brasileiras  e grupos profissionais de Dança para apresentações, no palco do COPEM, nos dias 25 e 26 /04 de 2020


Jornal da Canastra um jornal muito conceituado na região que divulga o turismo, educação, eventos, meio ambiente da região do Circuito da Canastra há 20  2nos, desde a sua implantação, cumpre com o objetivo que se propôs: divulgar, promover e melhorar o turismo e a cultura de Bambuí


“A diferença entre os demais jornais da cidade e região está no processo de uma comunicação mais sadia, mais alegre, mais jovial, com mais entretenimento. O “Jornal da Canastra” traz em suas páginas matérias de autoestima, matérias informativas alegrando o público que as saboreias prazerosamente!


Com uma comunicação mais leve, as matérias são escritas por articulistas com capacidade e com diferenciais em sabedoria e entretenimento.


Para explanar assuntos de moda ,está a articulista Mell Wooman ; política , turismo educação a jornalista Nancy Gonçalves Dias  .Explanação de festas e datas religiosas, a equipe de Turismo .e  assuntos sociais e fechamento de cada edição fica a cargo do jovem Bruno Paulinelli


Com base em conceito moderno, a equipe do “Jornal da Canastra” apostou em tecnologia online implantando em 2002 o site: www.jornaldacanastra.com.br empolgam os bambuiense ausentes lá fora e para falar sobre tudo que se refere a a dança , o site #festival de Dança.

Foi criado recentemente , o site TV Canastra , um canal  recheado de vídeos , fotos e   entrevistas,com pessoas talentosas , no mundo da dança , e profissionais em várias áreas !

O  departamento de marketing promove anualmente o evento: Os "  Melhores do Ano , de Bambuí " para valorizar pessoas que trabalham pelo desenvolvimento e por uma qualidade de vida melhor!  de nossa  querida Bambui; 

A Direção do Jornal da Canastra  patrocina , apoiar e divulga :  atletas, músicos e artistas, trabalhando assim a imagem institucional do jornal .


Que Deus continue nos iluminando durante a nossa trajetória de trabalho para que possamos levar a todos os leitores excelentes reportagens!

E a equipe agradece a todos que cooperam para o sucesso do mesmo!
Até a próxima !

O presépio começou a ser montado por D. Maria Elias, carinhosamente chamada de Marilia, no cantinho da sala de sua casa. Cada ano ele tornava-se maior com as oferendas que recebia durante o Natal.
Marilia recebia muitos agrados para o Menino Jesus, dos vizinhos e amigas que iam rezar o terço por ocasião do Natal. Satisfeita ela ia depositando as oferendas: um conhecido, trazia uma estatueta, um ninho de tico-tico, outro, uma casinha de João de Barro, uma raiz em forma de cruz. Marilia ia intuitivamente ornamentando, construindo aquela beleza de presépio que encantava não só as crianças, mas também aos adultos.
D. Marilia doou sua sala para a construção de um presépio e como os Três Reis Magos, muitos vieram trazer suas oferendas ao Jesus Cristinho. Ganhava coisas curiosas de uma gente simples e fez uma linda obra que encantava e tocava os corações de muita gente! Era um resgate a tradição, a vinda de Cristo: uma lição de amor.
O Natal dos presépios é um Natal que remonta um cenário cristão de doação, fé e reverência.
Enquanto escrevo este artigo, lembro-me com saudades do presépio de D. Marilia: passava horas e horas visualizando cada imagem ali colocada. Ela contava-me com a maior alegria e paciência a história do nascimento do Menino Jesus, dos animais que estavam no estábulo na hora do nascimento, e a história dos Reis Magos.
O presépio tinha a forma de uma gruta: aprendi com ela a preparar o papel para dar a impressão de uma gruta (triturava cacos de vidros e jogava-os por cima do papel, onde tinha passado uma cola). Explicava-me como fazia as graminhas de alpiste para nascer dias antes de formar o presépio. Ficava horas e horas vendo com curiosidade as imagens ali colocadas como o Menino Jesus, deitado no meio das palhas, rodeado de São José , N. Senhora iluminados pela estrela guia, juntamente com os animais como: o burrinho, carneirinho, o boi, a vaca , o bezerrinho, assim como: a galinha com os pintinhos, os patinhos na lagoa, sobre um pedaço de espelho, os serralheiros serrando uma tora, a igrejinha colocada lá no alto do morro. As casinhas singelas formando uma vila onde as crianças brincavam no terreiro de uma casa; o monjolo que era movido por uma bica d água caindo da pedreira, em cima da roda d´agua: tudo em miniatura!
Lembranças mais doces de um tempo em que eu acreditava na existência de Papai Noel que passaria pela fresta da janela, no Dia 25 de dezembro, para deixar um presentinho nos sapatinhos das crianças. Lembro-me com carinho da história que ela contava de Papai Noel, uma alusão a São Nicolau. Ele era um santo homem que nascera em 270 ac e morreu em 342, aos 71 anos de idade. "Fez o bem, sem olhar a quem". Ele fundou um orfanato, saciou a fome dos pobres, protegeu marinheiros, ladrões e mendigos. Viveu sobre a égide da caridade. Foi perseguido e preso pelos romanos, por seu amor ao semelhante, tornou-se Santo.
Doces lembranças! Deposito com saudades este artigo, como oferenda ao Presépio de Marilia!
Que Deus a tenha junto de si!

 

Mais Artigos...

Festival de Dança de Bambuí