05
Ter, Jul
ptenfres

O que eu esperava que fosse bem rápido à passagem da Covid -19 em mim, foi a doença mais longa que tive em toda a minha vida e que me deixou com várias sequelas.
Depois do luto, em que perdi o meu esposo, veio a confirmação da médica plantonista:
-Seu teste deu covid! E preciso internar urgente na UTI . -Perguntei a médica:
-Este Hospital tem tratamento precoce para a covid:
- Não, não tem, confirmou ela.
Disse a minha filha:
- Vamos sair daqui imediatamente e farei o tratamento em casa.
Era 1 hora da manhã quando saimos do Hospital. Telefonei para minha nora dizendo-lhe que iria fazer o tratamento da covid em sua casa. O motivo foi que todos de sua família já estavam com covid. Foi uma bênçao de Deus ao tomar esta decisão. Chegando em sua casa, já me esperava com antibióticos, cloroquina, ivermectina, injeções anti-coagulantes, corticoide, vitaminas C e D. Estava tranquila e dormi bem à noite. Logo, logo, já comecei a sentir os primeiros sintomas da doença, que me trouxe uma fraqueza enorme que não conseguia ter ânimo até para alimentar. Durante uns 20 dias fiquei de repouso. Graças a Deus, a minha família e ao médico Dr. Luciano Martins que cuidou de mim, consegui a recuperação.
Depois de uns quinze dias voltei ao mesmo Hospital para fazer um exame de sangue para verificar se estava tudo normal.
A entregar-me o exame horas depois, a médica plantonista disse-me que a minha glicose estava muito alta e que era preciso internar-me para o tratamento. Queria internar-me na UTI para que eu tivesse mais assistência médica. Mais uma vez relutei-me em ficar internada e fiz o tratamento com uma endocrinologista indicada pela minha nora.
Iniciei logo o tratamento com uma dieta muito rígida para abaixar a glicose. Além da glicose alta, tive uma miocardite falsa, queda de cabelo, dor na coluna, e uma tosse persistente que tenho até hoje! Uma covid longa com muitas sequelas, com perda de peso e falta de apetite.
Graças a Deus como diz o ditado:
“Depois da tempestade vem a bonança!”
Hoje, estou quase boa, sendo acompanhada por um endocrinologista, uma nutricionista e um cardiologista.
Graças à Deus, venci com muita fé em Deus a doença, com o amparo de minha família e médicos maravilhosos que estão me acompanhado nesta recuperação!
Nesse mês de junho, celebro mais um ano de vida! Agradeço sempre a Deus pelo dom da vida!
Que Deus continue a me dar forças e muita saúde para que eu possa seguir em frente, até quando Deus assim o permitir.

Feliz Aniversário!
Tim...tim!

O Dia Internacional da Mulher ou Dia da Mulher é comemorado anualmente em 8 de março. Trata-se de uma celebração de conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos, sendo adotado pela Organização das Nações Unidas e, consequentemente, por diversos países.
A comemoração do Dia Internacional da Mulher foi oficializada em 1921, mas o marco oficial para a escolha da data em 8 de março foi uma manifestação das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho, acontecimento que data de 8 de março de 1917.
Essa manifestação, que contou com mais de 90 mil russas ocorreu durante a Primeira Guerra Mundial e ficou conhecida como "Pão e Paz".
Mas, a luta das mulheres por melhores condições de vida e trabalho começou a partir do final do século XIX, principalmente na Europa e nos Estados Unidos.


As jornadas de trabalho de 15 horas diárias, os baixos salários e a discriminação de gênero eram alguns dos pontos que eram debatidos pelas manifestantes da época.
De acordo com registros históricos, o primeiro Dia da Mulher foi celebrado nos Estados Unidos em maio de 1908, onde mais de 1.500 mulheres se uniram em prol da igualdade política e econômica no país.
Em agosto de 1910, a jornalista e política feminista Clara Zetkin propôs a realização anual de uma jornada pela igualdade de direitos das mulheres, sem uma data específica


Na verdade, vários acontecimentos levaram à criação de um dia especial para as mulheres. Um deles foi o incêndio numa fábrica de camisas em Nova York, ocorrido em 25 de março de 1911, que mataria 146 pessoas, das quais 129 eram mulheres. O número de vítimas se explica pelas péssimas condições de trabalho e porque uma porta estava fechada para impedir a fuga das trabalhadoras.
No Brasil, as movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A luta feminina ganhou força com o movimento das sufragistas, nas décadas de 1920 e 30, que conseguiram o direito ao voto em 1932, na Constituição promulgada por Getúlio Vargas. A partir dos anos 1970 emergiram no país organizações que passaram a incluir na pauta das discussões a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher. Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.
Lei Maria da Penha – respeito, proteção e dignidade às mulheres


A Lei 11.340 de 2006, popularmente chamada de Lei Maria da Penha, foi criada, precipuamente, com o intuito de aumentar o rigor das punições sobre os crimes domésticos praticados, via de regra, por homens contra mulheres. Infelizmente, a cada ano, mais de um milhão de mulheres são vítimas de violência doméstica no País, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No afã de combate a este tipo de violência sistêmica, através do agravamento da penalidade, o Estado agiu por meio da Lei Maria da Penha, bem como por meio da Lei do Feminicídio que, sancionada em 2015, colocou a morte de mulheres no rol de crimes hediondos. A Lei Maria da Penha é reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma das três melhores legislações do mundo no âmbito de enfrentamento à violência contra as mulheres.
Quem foi Maria da Penha? A farmacêutica bioquímica Maria da Penha Maia Fernandes foi vítima de violência doméstica durante 23 anos. Em 1983, o marido tentou assassiná-la por duas vezes. Na primeira vez, com um tiro de arma de fogo, deixando Maria da Penha paraplégica. Na segunda, tentou matá-la por eletro-cussão e afogamento. Após essa última tentativa de homicídio, a farmacêutica tomou coragem, o denunciou e passou a lutar pela causa das mulheres vítimas de violência doméstica. O marido de Maria da Penha foi coisas boas, a bons tempos e nos lembra que existem pessoas que marcaram nossa vida de forma positiva e, por isso, são importantes para nós!
Feliz Dia Internacional da Mulher!

Dia 30 de Janeiro foi comemorado o “ Dia da Saudade”, um sentimento nostálgico causado pela ausência de algo ou alguém, de um lugar ou experiência.
De acordo com especialistas, saudade é um misto de emoções boas ou ruins que pode se manifestar de muitas maneiras. Trata de uma emoção que nos remete a coisas boas, a bons tempos e nos lembra que existem pessoas que marcaram nossa vida de forma positiva e, por isso, são importantes para nós!


Assim define a “Saudade” o poeta Pablo Neruda:
“Saudade é amar um passado que ainda não passou. É recusar um presente que nos machuca. É não ver o futuro".


Depois que ele se foi todos os dias são saudades! Uma Saudade insuportável que estará sempre presente daqui para frente!
Seis meses sem a sua presença e parece que foi ontem que ele partiu deixando muita saudade, muita dor e sofrimento!
Como sinto sua falta, sua lembrança, sua presença!
Lembranças as mais doces ficaram para trás! Uma convivência de 61 anos! Por isto, tudo é motivo para invocar o seu nome, suas lembranças, seu carinho!
Como é triste não poder oferecê-lo o meu carinho que está guardado. Os sorrisos serão sempre meio sorrisos; as conquistas também não são inteiras porque ele não está presente para celebrar minhas vitórias, minhas alegrias que ele sabia tão bem elogiar! Me faz falta suas palavas de conforto, seus elogios sinceros!


Triste sem sua presença!
E em meio a tanto verde, luz e vida, volto ao meu quintal sem flor. Consigo ouvir o canto dos pássaros, sentir a brisa no rosto, o abraço do sol.
Um quintal cheio de pássaros, onde ele adorava tratar seus passarinhos, traindo-os com uma canjiquinha!
O sabiá e o bem-te -vi que vinham todos os dias tomar o seu banho matinal e em agradecimento oferecer seu canto estridente e alegre!
Um quintal onde ele cultivava plantas e flores!
Apreciava a natureza, com uma sabedoria invejável!
Lá, ainda há prazer e encantamento .. Mas a sua presença e flores não estão mais lá!
Saudades eternas!

No Dia da Saudade, qual foi a sua?

Escreva-nos contando sobre a sua saudade!
E ela será divulgada no Jornal da Canastra!

elembrando o poema de Luis Guimarães Júnior:

“Como a ave que volta ao ninho antigo,
Depois de um longo e tenebroso inverno ”...

Assim, como na poesia, voltei ao meu lar, depois de um longo inverno! Ao entrar, senti um vazio tão grande e não contive a emoção, sendo acariciada pela minha neta Rafaela e minha amiga Deja! Fui até a sala de TV, onde meu esposo passava a maior parte de seu tempo! Não contive as palavras e disse. Cheguei! Era assim que falava todas as vezes que voltava da rua.Saudades eternas! Durante sessenta anos convivi harmonicamente, com meu esposo Wilson O.Dias
Meu esposo era muito sadio, nunca na vida precisou de tratamento hospitalar! De repente, passou por uma desinteria, fraqueza, perda de apetite. Foi levado a Brasília para exames, onde foi internado, em um Hospital local, recebendo o carinho de toda equipe hospitalar. Infelizmente veio a falecer.
A família optou pelo crematório, devido a distância até a cidade de Bambuí. Foi uma cerimônia muito linda, com um fundo musical com algumas músicas de sua preferência! Estiveram presentes familiares e amigos da família. No final oitenta e dois balões brancos, (n° de sua idade) coloriram o céu de Brasília para homenageá-lo e dar o adeus da família! Suas cinzas foram depositadas no jardim da casa de meu filho, ao lado da Igrejinha, uma réplica da Igrejinha Imaculada Conceição, de Bambuí. Depositamos suas cinzas, juntamente com uma muda de ipê amarelo.
Uma mensagem espiritual?
Quando completou exatamente um mês, pós o seu falecimento, uma grande surpresa! Uma muda que era um caule fininho, com algumas folhas secas, quatro lindas e delicadas flores amarelas, cor de ouro surgiram no topo do caule surpreendendo e encantando a todos! Ficamos surpresos porque é preciso de uns três anos para um ipê florir. Aquelas flores surgidas, naquele caule que parecia sem vida foi interpretada pela família como uma mensagem espiritual:
-Estou bem! Estou tranquilo!Não chorem por mim!
Aliviados e tranquilos entramos no interior da pequena Igrejinha e rezamos o Terço da Misericórdia, em sufrágio de sua estimada alma!
Após dois dias de luto, fiz um exame, no mesmo Hospital,onde testou positivo para covid! A médica que me atendeu, sugeriu, naquele momento a minha internação, na UTI, para o tratamento.
O tratamento é precoce, perguntei?
-Não, não é precoce!
-Sinto muito! Então não vou me internar, prefiro o tratamento precoce, respondi! Minha filha que me acompanhava assinou um termo de responsabilidade e saímos do Hospital. Como toda a família de meu filho estava com covid fui para a sua residência e logo ao chegar recebi o tratamento precoce, de acordo com o médico da família, Dr Luciano Martins que viera me visitar, dando-me uma atenção especial devido a minha idade, indicando-me mais outros remédios para completar o tratamento com: Cloroquina, Hidroxicloroquina, Ivermectina, Azitromicina, corticoide, anticoagulante injetável no abdomen, completando com vitamina D, açafrão em cápsula e dicas para deitar de bruço, para melhorar a oxigenação dos pulmões. Cito aqui o carinho de minha neta Rafaela,que foi um anjo que caiu do céu, acompanhando-me durante todo o tratamento, dando-me até alimento na minha boca devido a fraqueza em que eu encontrava. Outro casal amigos e médicos, Dr Fábio Buissa e sua esposa, Dra.Bruna Esquenazi, foram importantes em minha recuperação! Passei muito mal com febre, pressão alta, falta de apetite, desinteria, desidratação, mesmo tendo todo o cuidado anteriormente contra a covid, sendo vacinada com duas doses da coronavac, vacina antigripal, vacina contra a pneumonia, tratamento com as vitaminas D, C e Zinco. Graças a Deus, depois de vários dias acamada, já estava recuperada!Voltei ao Hospital novamente, para exame de sangue para ver se tudo estava normal! Infelizmente, constatou uma glicose altissima! Mais uma vez a médica que me atendeu queria internar-me e aplicar-me insulina. Resistente ao internamento, procurei a médica especialista em endocrinologista, Dra Luiza Gouveia que está me dando toda assistência médica. Graças à Deus, no momento estou maravilhosamente bem!
Este depoimento, é para mostrar aos amigos que o tratamento precoce salvou minha vida, de minha família, e de vários amigos que foram contaminados ao visitar-nos durante o luto .

Mais Artigos...

Festival de Dança de Bambuí