05
Ter, Jul
ptenfres

Destaques

Grid List

Patrocinadores

Outros destaques

Grid List

Banner quadrado - Wilson  I
quadrado destaques - Maria amélia doces 18 -2
Banner Quadrado - MultElétrico i  II
Banner Quadrado  JCanastra- capa  propaganda  02  III
Banner Quadrado -  Capa Jornal IV
banner quadrado 10
Banner quadrado 13 -Solar Minas
Banner quadrado   Geovanna  15
Quadrado destaqu  22 anos Vl -
Quadrado  Outros Destaques Vlll- Marina tecidos

O dia 8 de março – Dia Internacional da Mulher – é um marco na luta das mulheres pela afirmação de sua dignidade e contra todas as formas de violência e discriminação. Por isso, é importante recordar a história dessas lutas, recordadas nessa data. O dia 8 de março se reveste de um duplo significado: tanto de celebração das conquistas, como de mobi-lização para firmar o que foi conquistado e definir novas metas. A história e o significado do dia 8 de março nos é apresentado no texto que oferecemos aos leitores, da professora Meryenne de Carvalho, professora do IFMG, Campus Bambuí .

Dia 8 de março, o dia Internacional da Mulher.

Várias histórias sobre a escolha dessa data são contadas. Você conhece alguma?

Alguns dizem que a história do Dia Internacional da Mulher surgiu em homenagem a 129 operárias estadunidenses de uma fábrica têxtil que morreram carbonizadas, vítimas de um incêndio intencional no dia 8 de março de 1957, em Nova York. Dizem ainda que o crime teria ocorrido em retaliação a uma série de greves e levantes das trabalhadoras.

Outros contam que essa data foi criada bem antes, lá em 1910, durante a II Conferência Internacional das Mulheres em Copenhague, na Dinamarca, uma feminista marxista alemã, propôs que as trabalhadoras de todos os países organizassem um dia especial das mulheres, cujo primeiro objetivo seria promover o direito ao voto feminino.

Pode ser que o dia 08 de março tenha sido escolhido em 1911, para homenagear 125 mulheres, em sua maioria imigrantes judias e italianas, que morreram em um incêndio em uma fábrica em Nova York. A tragédia fez com que a luta das mulheres operárias estadunidenses, coordenada pelo histórico sindicato da União Internacional de Mulheres da  indústria Têxtil, crescesse ainda mais, em defesa de condições dignas de trabalho.

Há também a história que as mulheres russas lutaram por “Pão e paz”, no dia 8 de março de 1917, mulheres tecelãs e mulheres familiares de soldados do exército tomaram as ruas de Petrogrado (hoje São Petersburgo) e de fábrica em fábrica, elas convocaram o operariado russo contra a monarquia e pelo fim da participação da Rússia na I Guerra Mundial.

Entre tantas histórias, um tema principal se repete: a luta das mulheres operárias. E é sobre isso que devemos falar: o real significado do dia 08 de março o dia Internacional da Mulher é um dia político, de lutas pelos direitos feministas que, naquela época, era direito ao voto e melhores condições de trabalho. Hoje devemos comemorar o dia Internacional da Mulher pensando que ainda somos o gênero alvo principal da violência e da desigualdade.

Comemoremos sim esse nosso dia, porque ele realmente é nosso!! Mas não nos esqueçamos que para que ele existisse muita luta feminista foi travada.
Um feliz dia 08 de março para as mulheres cis, mulheres trans, mulheres negras, mulheres brancas, mulheres indígenas, mulheres mães solo, mulheres estudantes, mulheres que trabalham fora de casa, mulheres que trabalham em casa, mulheres que sonham, mulheres  que existem, mulheres que lutam.

Por: Meryene de Carvalho Teixeira

 

 

Entre as conquistas alcançadas pelas mulheres no Brasil se destaca a Lei Maria da Penha, criada em 2006, com o objetivo de coibir as diversas formas de violência contra a mulher. Carolina Durán comenta diversos aspectos dessa lei: quem foi Maria da Penha, a extensão da aplicação dessa lei e alguns efeitos positivos da mesma. Ressalta ainda a importância da denúncia das violências sofridas, apesar do temor de represálias, para que a lei possa ser aplicada.

Recordemos aqui ainda uma reflexão do Papa Francisco sobre a dignidade da mulher, feita em uma audiência pública, em setembro de 2015. Entre as tentações que o homem sofre desde a Criação, o Papa cita o :
“delírio da onipotência” e “a desobediência a Deus”, causando a ruptura da harmonia entre o casal humano, “gerando desconfiança, divisão, prepotência, como demonstra a história”. Expressões dessa ruptura, segundo o Papa, são “os excessos negativos das culturas patriarcais, as múltiplas formas de machismo, em que a mulher é considerada uma segunda classe e a instrumentalização e mercantilização do corpo feminino na atual cultura mediática”. Face a essas rupturas, Francisco ressalta o sentido da complemenaridade do homem e da mulher, reafirmando “a igual dignidade de um perante o oa celebração dos direitos da mulher foi aprovada por mais de cem representantes de 17 países. O objetivo era honrar as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o sufrágio universal em diversas nações.
Mas foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então), quando aproximadamente 90 mil operárias manifestaram-se contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra - em um protesto conhecido como "Pão e Paz" - que a data consagrou-se, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921.

Somente mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo, em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o "8 de março" foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

Aniversários sempre mexem comigo. Acredito que nesses anos de pandemia a comemoração deveria se redobrar por estarmos vivos. Não digo pelo estado de luto que emos vivido, lógico, porque em um instante de egoísmo, vivemos! Seria mesmo egoísta?

Esse ciclo é repleto de camadas, não só pela complexidade de existir, mas também pelo tempo disponível, porque hoje as respon-sabilidades são outras/maiores. E sempre, sempre evoluímos, porque o ser daquele aniversário de um ano atrás, não é mais o ser do aniversário de agora. E “tá” tudo bem! É assim, a gente muda, mesmo que seja um centímetro de cabelo a mais, mas mudamos.

Deixar o mais profundo dos agradecimentos por existir e com quem existimos deveria ser obrigação, mas já dizem os grandes: Só oferecemos aquilo que conhecemos, ou vivemos, experimentamos e gostamos. Tem gente que até gosta de muita coisa, experimenta coisas incríveis, mas prefere não oferecer, é egoísta, falo sobre isso depois –em outro texto.

Celebrar a existência, a esperança, a complexidade, o altruísmo, os valores, a essência, os cheiros, os sorrisos, os beijos, abraços, amigos, parentes, família, os laços, profundos ou não. Celebrar mudanças, evolução, ignorância, esperteza, autenticidade, inseguranças e medos. Celebrar a transparência. Só nós sabemos a dor e a delícia de sermos nós mesmo.

E nessa felicidade e vibração deixo minhas palavras como presente para a Nancy que neste mês de junho comemora mais um ano de vida.

Meus parabéns! Viva! Viva a vida!

            

“Publicitário e comunicador nato. Ama arte, moda e blogar, idealmente tudo ao  mesmo tempo".

No dia 15 de outubro de 2020, os eleitores escolheram novos vereadores e prefeito do município de Bambuí .


Agora muito eleitores perguntarão :
-E agora? Desejo saber o que eles poderão fazer pelo nosso Município, nestes quatros anos de gestão?

Conhecer as atribuições e verdadeiras funções do vereador é fundamental, principalmente para os eleitores que escolheram seus vereadores para representá-lo na Câmara . Ele é, portanto, um representante político da população na esfera municipal.
Verear significa zelar pelo bem do Município.
O vereador possui mandato de quatro anos e é eleito diretamente pelo voto popular. No dia da posse, ele jurou cumprir a Constituição Federal, a Constituição Estadual e a Lei Orgânica Municipal, observar as leis, desempenhar o mandato e trabalhar pelo progresso do Município e bem estar de seu povo

.
Fazendo a intermediação entre a população e o Poder Executivo municipal, o vereador acaba tendo a função de fiscal do povo, auxiliando o eleitor no exercício de sua cidadania. Ele precisa participar de eventos públicos e de interesse da cidade, atuando também fora da Câmara Municipal. Estas atividades incluem visitas a comunidades para conhecer a realidade local e ouvir os seus moradores. As demandas sociais, os interesses da coletividade e dos grupos devem ser levados em conta na elaboração de projetos de leis, que serão discutidos e votados na Câmara Municipal.
O vereador será muito cobrado no atendimento dos anseios e necessidades dos munícipes que, quase sempre, são problemas relacionados à competência do Poder Executivo.


O poder do vereador é indireto, pois ele pode apresentar uma emenda à Lei Orçamentária, sujeita à votação, ou por meio de uma Indicação ou requerimento enviado ao prefeito. Através destes instrumentos, o vereador poderá solicitar a realização de uma obra, mas sempre dependerá da ação do Poder Executivo.
Ele tem quatro principais atribuições: representar (os eleitores e a comunidade), legislar (em defesa do bem comum), fiscalizar (a aplicação do dinheiro público) e assessorar (encaminhamento de indicações ao prefeito e secretários municipais). O vereador fala em nome da população, do partido político que representa e de movimentos organizados, devendo realizar seminários, debates e audiências públicas como meios de ouvir e de permitir que sejam ouvidos os interesses da comunidade em geral.


Cabe a ele fiscalizar os atos do prefeito na administração municipal, principalmente no tocante ao cumprimento da lei e da boa aplicação e gestão dos recursos públicos. A fiscalização acontece também por meio de análises do Plano Diretor e da atuação das comissões especiais com os objetivos de discutir e aprovar o orçamento anual - a Lei de Diretrizes Orçamentárias - que define onde e como aplicar o orçamento do município.
Já a função de legislar consiste em elaborar, apreciar, alterar ou revogar as leis de interesse dos cidadãos do município. Essas leis podem ter origem na própria Câmara ou resultar de projetos de iniciativa do prefeito ou da sociedade, que são analisados, discutidos e votados nas reuniões ordinárias ou extraordinárias. No trabalho cotidiano aprovam ou rejeitam projetos de lei, produzem decretos legislativos, resoluções, indicações, pareceres, requerimentos. Preparam o Regimento Interno que estabelece as diretrizes da Casa. Organizam-se, ainda, em comissões permanentes ou especiais de acordo com os setores da vida da comunidade e com as principais áreas de atuação de cada vereador ou vereadora.
Outra importante atribuição a um vereador é a elaboração da Lei Orgânica do Município. Esse documento consiste numa espécie de Constituição Municipal, na qual há um conjunto de medidas para proporcionar melhorias para a população local. O prefeito, sob fiscalização da Câmara, deve cumprir a Lei Orgânica.

      O que esperar da nova gestão do prefeito e da Câmara de Bambuí?

                     Depoimentos de cidadãos e cidadãs bambuienses à respeito destes quatro anos de gestão:

 

Laila M. de Oliveira

“Espero que a gestão, poder executivo, continue com o trabalho sério, honesto e transparente para que nossa cidade prospere. A prosperidade significa atender os anseios da população tanto na saúde de, educação, esporte, lazer. Quanto a Câmara do vereadores que esses se dediquem ao trabalho real de um vereador que é elaborar leis e fiscalizar a utilização do dinheiro público e não uma fonte de favores. Ser vereador é representar seu povo e não um cargo para tirar proveitos próprio.”

 

Gustavo Soares

“Considero que os resultados dessa eleição foram favoráveis a Bambuí. Prefeito e vice são pessoas austeras, trabalhadoras e querem o bem de Bambuí.
A Câmara de vereadores tem representantes de várias causas importantes para nosso município.
Como qualquer cidadão bambuiense tenho esperança que executivo e legislativo caminhem juntos os quatro anos. No final, quem ganha é nossa querida Bambuí.”

Celina Maria Ramos

“Que os políticos de Bambuí, eleitos para o mandato 2021/2024 tenham a consciência que eles são representantes do povo, que estão de passagem pelo poder público, NÃO são donos da Câmara Municipal e nem da Prefeitura.
Que saibam aproveitar estes quatro anos para agir com coerência e ética,
Que procurem ter os interesses do povo como uma bússola para guiá-los no trabalho público. Só assim deixarão legado para a cidade de Bambuí e serão lembrados com orgulho, por todos, mesmo após o término do mandato!!

Alan Delgado

“Da prefeitura esperamos que conclua as obras urbanas iniciadas e que olhe para as estradas vicinais da zona rural.
A agropecuária é setor produtivo essencial para os bambuienses. São os produtores rurais que levam o alimento à mesa do povo de Bambuí. Eles merecem respeito e consideração!!!
Dos vereadores esperamos independência para fiscalizar os atos do poder executivo e criem projetos para beneficiar o cidadão, sem o famoso “tomá-lá-dá-cá” .
Esperamos que: o poder executivo e legislativo, melhorem a qualidade do Sistema de saúde, tornando-o mais acessível, aumentando o quadro de médicos especialistas, nas UBS promovendo uma parceria público privado, visando atender os carentes.”

Sueli Pêgo

 “Espero da nova gestão: prefeitura e da Câmara de Bambuí total transparência. Transparência na gestão administrativa, na distribuição de recursos em todas as áreas. O povo deve participar em peso, conhecendo como nossa cidade caminha para melhorar cada vez mais na saúde, educação segurança e social.”

Desainês Ramos

Executivo: que cumpra o prometido no plano de governo. Que Deus ilumine sempre o seu mandato!
Legislativo: Pensem mais no povo, na coletividade. Parem de legislar em causa própria. O cargo de vereador permite perfeitamente que tenha uma profissão. Faça dela sua referência. Daqui 4 anos você pode não estar mais vereador. Fiscalize o Executivo, mas não inviabilize . Projetos que irão beneficiar o Município, só por picuinha ou por ser adversário político; Apresente projetos que venham beneficiar a coletividade e não só a seus eleitores!

 

O Brasil terá um indicado para o Prêmio Nobel da Paz de 2021: Alysson Paolinelli. Com 84 anos, é, desde quando se graduou em engenharia agronômica, em 1959, um entusiasta pelas tecnologias e inovações no campo, passos importantes para o aumento de produtividade e para maior oferta de alimentos.


Paolinelli, além dos muitos anos dedicados ao campo, teve importante participação na política agrícola brasileira. Professor, secretário de Agricultura de Minas Gerais por três vezes, ministro da Agricultura nos anos de 1970 e deputado federal no período da Constituinte, abriu caminho para a saída do Brasil de uma dependência alimentar para a posição de um dos principais exportadores mundiais de alimentos. Em 1970 surge uma revolução agrícola no Brasil, através de desenvolvimento de programas específicos para o aproveitamento dos cerrados, com base na ciência, na tecnologia e na inovação, liderada pelo mineiro bambuiense, Alysson Paolinelli. Ele criou 26 representações da Embrapa em sua passagem pelo Ministério da Agricultura nas diversas regiões do país.


Um dos precursores da evolução da agricultura tropical no Brasil, afirma que a tecnologia brasileira, se adotada por outros países com solos pobres, incentivaria a agricultura em regiões carentes.
O papel da agricultura tropical brasileira na evolução da oferta de alimentos no mundo fez Paolinelli ganhar o "The World Food Prize", em 2006, prêmio criado por Norman Bourlang, Prêmio Nobel da Paz de 1970.
Hoje a região do cerrado é responsável por 46% da produção brasileira de soja, 49% da de milho, 93% da de algodão, e 25% da de café. Ainda, segundo o IBGE, a região é responsável por 32% do rebanho brasileiro de bovinos e detém 22% das produções de frango e de suínos do país.


Paolinelli está sendo indicado ao Nobel da Paz não só pela dedicação à agricultura tropical e à consequente segurança alimentar gerada por ela, mas também pela sustentabilidade que essas novas tecnologias trouxeram à produção, segundo os signatários da indicação do ex-ministro ao prêmio.

Aos 84 anos, Alysson Paolinelli, nascido em Bambuí, MG, um orgulho para os bambuienses afirma que a agricultura tropical trouxe vantagens comparativas para o país, mas se faz necessário um avanço para a bioeconomia.

Nossos aplausos para o nosso conterrâneo bam-buiense que nunca mediu esforços para que o Brasil chegasse ao desenvolvimento agrícola, como está hoje!

Que venha para o Brasil e MG, em 2021, o Prêmio Nobel da Paz!

Mais Artigos...