10
Sex, Jul
ptenfres

O primeiro Dia das Mães foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Mas foi só em 1932 que o presidente Getúlio Vargas oficializou o segundo domingo de maio como Dia das Mães no país.
Em 1947, a data do Dia das Mães passou a ser incluída no calendário oficial da Igreja Católica no Brasil.
A equipe do Jornal da Canastra faz uma homenagem a todas as Mães bambuienses,entrevistando a Mãe do Ano ,de 2018 es- escolhida pela equipe do jornal:Ana Conceição Carvalho Alzamora, conhecida carinhosamente de Nini Carvalho que fala-nos sobre sua infância, juventude e casamento !
Eis a entrevista :


Jornal da Canastra -Bom dia Nini ! Tudo bem?
Primeiramente , o seu nome completo e de seus pais
Ana Conceição Carvalho Alzamora
Meus pais : Pedro José de Carvalho e Maria do Carmo Alzamora


JCanastra- Vamos recordar um pouco de sua infância .Como diz o ditado: Recordar é viver !
JCanastra-Onde você nasceu ?
Ana nasci na Fazenda de Franklin Sampaio ,em 28 de abril de 1928.


JCanastra - Franklin Sampaio era um local muito movimentado naquela época,não ?
Ana Era sim ! Era uma estação ,e ali passava o trem de Ferro.

 

Pintura da Casa onde nasceu em  Fazenda Franklin Sampaio

Ana Conceição  Carvalho Alzamora ( livro sobre Sacrré Coeur de Marie )

Geraldo Alzmora ( esposo)

Ana Conceição e seu filho Alexandre Alzamora

A Grandeza de um amor vivido,história de sua vida contada em um livro


JCanastra -Como foi a sua infância passada nesta fazenda ?
Ana –Frankin Sampaio era um lugar muito agradável servida pela estrada de ferro.Vivi alí tranquilamente cercada de muito amor e carinho pelos meus pais e seis irmãos que eram : José Pedro de Carvalho , o Zezeca o irmão mais velho que estudou em BH. Formou-se em advocacia tornando -se um excelente profissional , na cidade de Luz!Messias Pedro Carvalho, conhecido por Mimi foi o irmão que destacou-se dos demais por me ter dado colo ,amizade e muito carinho.Pedro José de Carvalho, conhecido como Pedrinho foi um irmão também muito presente em minha vida! E Maria da Conceição Carvalho,Dinda para mim. Era minha única irmã e mais velha que eu! Ínfelizmente ,perdi minha mãe aos seis anos de idade.Fui criada pela minha tia,Cândida Natália , (Canducha),mulher forte e abnegada! Era muito boa para mim , mas dizia que ela não era minha mãe! Apesar de gostar muito dela agarrei-me ao meu pai .Ele passou a ser pai e mãe para mim!Ao completar sete anos de idade, pouco mais de um mês da morte de minha mãe convenceram-me de que eu deveria estudar. Passei então a estudar na escola próxima da Fazenda de Franklin Sampaio ajudada pelos meus irmãos que iam me levar e buscar-me na escola.Estudei nesta escola até o terceiro ano primário , passando com distinção ! Após o terceiro ano deixei a escola de Franklin Sampaio, passei a estudar o quarto ano pri-mário em Bambuí ,no Grupo “José Alzamora” que foi o bisavô de meus filhos. Fui aluna da Anita Carvalho que nesta época, namorava meu irmão Pedrinho. Após o quarto ano, fiz o Admissão com Sr João Apolinário.Fui para Belo Horizonte fiz o exame de Admissão onde passei frequentar a primeira série ginasial,no Colégio Sacré Coeur de Marie. Fiquei neste colégio até me formar.Era um Colégio francês, com internato dirigido por irmãs religiosas francesas .Tudo lá girava em torno do francês.Nesta época eram minhas colegas de estudo em Belo Horizonte : Leda Torres , Isabel Torres e Maria Alcida !O transporte era de trem de ferro , naquela época !Eu pretendia continuar meus estudos em Belo Horizonte , depois de formada ,mas com a morte de meu pai voltei para Bambuí , e cheguei a trabalhar como professora primária durante um ano,no Grupo José Alzamora.


JCanastra Fala um pouco sobre Geraldo Alzamora , seu esposo!
Ana- Assim que cheguei em Bambuí comecei a frequentar a sociedade bambuiense onde conheci Ge-raldo Alazmora que foi o meu primeiro amigo . Excelente pessoa, um gênio muito bom ! Começamos a namorar e logo nos casamos. Foi excelente pai , amigos de todos ! Fui muito feliz com ele ! Vivemos felizes por 30 anos e tivemos cinco lindos filhos :Eugênio, Alexandre Ernestina Mara , Andréia, e Geane .Tenho nove netas, a mais velha é Isabella que estuda medicina


Você educou tantas crianças na escola , e como foi a educação que você deu aos seus filhos ?
Ana- Jamais saberia dar educação que eu tive para os meus filhos!


JCanastra – Fui sua aluna e guardo com carinho uma imagem muito bonita de você como professora!
JCanastra .Vamos agora falar de seu livro que você escreveu: A Grandeza de um amor vivido ! Qual foi o motivo que levou a você escrever este livro :
Ana -O motivo foi o amor, o carinho de meus pais e irmãos. Quero deixar a minha história de vida para os meus filhos netos e bisnetos ,através deste livro onde relato sobre : A grandeza de um amor vivido


JCanastra -Deixa aqui uma mensagem para as Mães bambuienses !
Ana –Os meus parabéns a todas mães bambuienses, neste Dia das Mães” finalizou Ana Conceição Carvalho Alzamora , ao Jornal da Canastra

Nancy Gonçalves agradece de coração , a Nini Carvalho por esta entrevista ,e pela sua amizade e carinho dedicada a sua família “

 

Dançar faz bem para o corpo, mente e alma

 

Atividade queima calorias, fortalece ossos e músculos e melhora o equilíbrio

 

Dia 29 de abril é comemorado o Dia Internacional da Dança. Esta data foi estabelecida pelo CID (Comitê Internacional da Dança) da Unesco, em 1982. O objetivo da data é celebrar a arte, considerada linguagem universal da liberdade de expressão.

 

Desde os primórdios, pratica-se a arte de dançar. Os povos primitivos a realizavam em diferentes ocasiões: no período de colheitas, nos rituais aos deuses, na época das caçadas, nos casamentos, em momentos de alegria ou tristeza.

 

“A dança é considerada a mais completa das artes, pois envolve elementos como música, teatro e pintura, sendo capaz de demonstrar todas as formas de emoções. Através da dança, é possível expressar o seu estado de espírito”, Luana Norce, bailarina profissional e diretora da Escola de Dança Luana Norce.


Além do estado emocional, a dança beneficia – e muito - a saúde. Confira:

 

1- Ajuda a queimar calorias – A dança tem sido uma parceira fundamental de quem deseja emagrecer e manter a forma, especialmente por ela ser capaz de ajudar na queima de calorias. Em uma hora de aula, é possível queimar em média de 300 a 400 calorias, apenas por conta da intensidade dos movimentos praticados.


2- Melhora a postura - Para quem sofre com dores na coluna ou tem má postura, a dança pode ajudar. Por conta do trabalho que ela faz nos membros inferiores e também na região lombar, a dança ajuda a fortalecer os músculos que sustentam a coluna, melhorando a postura naturalmente.


3- Melhora a circulação - A dança estimula a circulação do sangue, ajudando na saúde do coração e melhorando a capacidade respiratória.


4- Afasta a depressão – Por ser uma atividade divertida e alegre, a arte também é indicada para quem luta contra a depressão. Isso porque é capaz de aliviar tensões e estresse e ansiedade.

5- Aumenta a autoestima – Alguns passos são desafios, não se pode negar. Mas quando o obstáculo é ultrapassado e o resultado é obtido, é impossível não se sentir bem.


6- Aumenta a flexibilidade – A dança melhora a coordenação motora e o condicionamento físico em pouco tempo de prática.

7- Aumenta o tônus muscular – Alguns movimentos exigem força e resistência muscular, com isso, há um ganho de massa magra e também fortalece os músculos de regiões como glúteos e abdome.


8- Melhora a tensão pré-menstrual – Por liberar endorfina, o hormônio que favorece o bom humor, a dança é altamente indicada na TPM melhorando a depressão ocasionada pelo período.

9- Controla o colesterol – A dança diminui os níveis de LDL – o colesterol ruim e eleva o HDL, o colesterol bom.


10- Retarda o envelhecimento - Conforme vamos envelhecendo, nossas células cerebrais morrem e sinapses tornam-se mais fracas. Por isso, acredita-se que quanto mais complexas forem nossas sinapses neurais, melhor. E para isso, a dança é uma ótima alternativa, já que trabalha na construção de diversas novas rotas mentais por meio dos movimentos, da marcação e da memória muscular.

 

Luana finaliza dizendo que a dança pode transformar a vida de qualquer pessoa. “Além de atuar de forma terapêutica, é uma verdadeira terapia, tanto para o corpo, quanto para a mente. Dançar é uma forma de expressar as emoções, desenvolver a autoconfiança, estimular a criatividade e a disciplina, essencial para qualquer ser humano”.

 

Centenas de bambuienses, bailarinos, familiares, e visitantes compareceram na quadra do COPEM para assistirem as apresentações do 10º Festival de Dança de Bambuí. Várias coreografias foram apresentadas nos dois dias do evento 21 e 22 de abril de 2018.
Bailarinos de diversas cidades do MG , como: Bambuí, Arcos, Luz , Belo Horizonte ,Perdões ,Formiga encantaram o público de Bambuí com suas belíssimas performances.
Na noite de sábado (21/04), o COPEN foi palco de belissimas apresentações !
O prefeito Olívio José Teixeira recebeu da jornalista Nancy Gonçalves Dias , um troféu pelo apoio ao 10° Festival de Dança de Bambuí .
O evento iniciou-se com uma belíssima apresentação de abertura pelo casal de bailarinos: Adriana Coutinho e Pedro Hugo, de Belo Horizonte que também finalizou a noite a primeira noite do evento com outra bela apresentação Logo após,deu início as apresentações  competitivas das cidades de  Arcos , Formiga e Bambuí.
Na noite de domingo,o festival iniciou-se às 18 :00 horas e contagiou todos os presentes, com lindas performances de ballet de repertório clássico, ballet livre , jazz, street danceme danças urbanas !
Do outro lado, a mesa de jurado formado pelos profissionais de dança : Adriana Coutinho, de BH , Diego Perez (R J) e Gildo da Silva (Araxá) tiveram a dificíl tarefa de avaliar as belas apresentações competitivas de festival de ballet clássico, repertório, Ballet Livre , jazz, street dance e danças urbanas !
A melhor bailarina é aluna da Escola de Dança Corpo e Movimento de Formiga que participou do 10º festival de Bambuí e se classificou em 1º Lugar na variação de repertório. Além da premiação especial ganhou também a Carta de isenção de Inscrição para participar do Festival Dançaraxá de 2018
O segundo prêmio especial foi dividido entre os balairinos Frank Júnior e  André , da Escola de Dança Corpo  Movimento de Formiga que ganhou também a Carta de Isenção de inscrição para participar do Festival Dançaraxá
O melhor grupo de dança foi KNight Hood de Bambuí ,Além do prêmio em dinheiro ,o grupo ganhou a Carta de Isenção para participar no Festival Unidance de Divinópolis !

Fica os nossos eternos agradecimentos ao jurados , bailarinos , bailarinas e seus familiares , às empresas apoiadoras do evento. como: Prefeitura Municipal de Bambuí Dx Informática, Maria Amélia Doces e Bolos, Sicoob Credibam, Farmácia Lima , Rádio Cidade, Smart Pag Pouco, Câmara Municipal de Bambuí e Galpão ,

Sem vocês seria impossível a realização deste grandioso evento 
Nossos sinceros agradecimentos a todos que de uma forma direta ou indireta contribuiram para o brilhantismo do 10° Festival de Dança de Bambuí.
Fica aqui também nossos sinceros agradecimentos à equipe organizadora do 10° Festival de Dança de Bambuí: Francine Milla Josimar Ferreira , Jefferson Gomides o Grupo de Dança KNight Hood Dance Crew de Bambuí, Bruno Paaulinelli, Davi Dias , Dalmon Gonçalves Dias

Convido a todos para encontrarmos novamente em 27 e 28 de abril de 2019!
Até lá !

A Defensoria Pública da União já completou 18 anos de existência. Mesmo atingindo a maioridade, a Defensora Pública , Dra Natália de Castro Torres cargo desde 2010, acredita que a instituição carece de falta de pessoal, na área, ou seja, quase todos os defensores principalmente em Comarca de Vara única trabalham sem qualquer funcionário administrativo, muitas vezes sem sequer estagiários remunerados como é o caso de Bambuí ” diz.
O Jornal da Canastra entrevistou a Defensora Pública, Dra Natália Torres, de Bambuí para saber mais à respeito de seu excelente trabalho junto às pessoas carentes da cidade!

Eis a entrevista:
Jornal da Canastra, por favor o nome de seus pais.
Dra. Natália de Castro Torres. Sou filha de Dalmo Torres e Ieda Bernardes de Castro Torres.
Fiz meus estudos de Ensino fundamental e Médio em Bambuí-MG, na E.E. José Alzamora, E.E. João Batista de Carvalho. Sou graduada em Direito pela Escola Mineira de Direito, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.
Fiz a Pós-graduação em Direito Empresarial na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.
Trabalhei nos Escritórios de Advocacia: Carlos Cateb Ferreira e Chagas Advogados Associados
E sou Defensoria Pública desde Novembro de 1998 à 2018.


Jornal da Canastra - Com certeza quando tomou posse em abril de 2010, em Bambuí, a senhora deve ter pensado em alguns objetivos. Acha que alcançou estes objetivos? Poderá citar o mais importante deles?
Dra. Natália Torres Tomei posse na Defensoria Pública em Novembro de 1998 e desde então passei por algumas Comarcas: Pirapora, Belo Horizonte (atuação Juizado Especial Civil e Varas de Família, Luz e transferida para a Comarca de Bambuí em 2010.
Como já atuava na Defensoria Pública há mais de 10 anos, meu objetivo sempre foi prestar um atendimento jurídico de qualidade aos hipossuficientes (pessoas sem condições financeiras de contratar advogados). Tenho o sentimento que venho prestando um serviço de qualidade aqueles que necessitam de atendimento jurídico e não podem pagar por ele, sempre com assiduidade, clareza e atenção

.
JCanastra - Quais são as principais diretrizes na defesa dos direitos humanos no Brasil?
Dra. Natália - A área de Direitos Humanos é muita vasta, no Brasil, temos a conhecida e propalada Constituição cidadã, que reconhece em seu art. 5º a grande maioria dos direitos humanos, mas infelizmente ainda não conseguimos implementá-lo em toda sua força, existindo vários problemas sociais e econômicos que impedem muitas vezes a pre-valência dos Direitos Humanos.


JCanastra - Na sua opinião, qual a importância da Defensoria Pública na defesa dos direitos humanos?
Dra. Natália - Como nosso público é carente e muitas vezes, privado de vários direitos, é essencial que a defensoria pública esteja em todas as comarcas brasileiras, para que de fato possa os direitos humanos sejam observados para a toda população brasileira, que tenha facilitação de seu ingresso na justiça.


JCanastra - As prisões brasileiras são consideradas grandes violadoras de direitos humanos. Como reverter essa situação quando se tem índices oficiais que mostram que a população carcerária duplicou nos últimos vinte anos?
Dra Natália - Com certeza este é um problema grave no Brasil, falta de vagas, falta de direitos básicos, como local para dormir, comida digna, e até mesmo muitas vezes violência, muitas vezes ficamos sem esperança, mas a discussão deste tema, já é importante, pois facilita políticas públicas a que venha contribuir com a melhoria do sistema penitenciário.


JCanastra - O que a sra pensa sobre a descriminalização das drogas?
Dra. Natália - Um tema muito polêmico, mas que tenho acompanhado com bons olhos, é de se verificar que infelizmente, o combate as drogas e ao tráfico das mesmas tem sido inútil, a quantidade de presos, com pequenas quantidades de droga, a população carcerária cada vez mais jovem, ás vezes me faz pensar que a descriminalização das drogas, poderia ser um alívio, na diminuição de perdas de tantas vidas para o tráfico, mas claro tal descriminalização demanda grande estudo e principalmente acompanhada de políticas públicas de educação e acompanhamento médico em relação aos usuários de droga, que hoje existe em nosso sistema de saúde

.
JCanastra - A instituição tem autonomia e os defensores têm independência funcional, como prevê a Constituição?
Dra Natália - Depois de muita luta, a Defensoria Pública de Minas Gerais conseguiu sua autonomia, através da Lei Complementar nº 65 de 16 de janeiro de 2003, sendo que ainda luta com muita dificuldade, para ter orçamento adequado, para cumprir com excelência sua vocação constitucional de acompanhamento jurídico ao menos afortunado financeiramente. Os defensores públicos de acordo com a lei têm independência funcional.


JCanastra - Quais são as principais dificuldades da Defensoria?
Dra .Natália - Falta de pessoal, na área meio, ou seja, quase todos os defensores principalmente em Comarca de Vara única como em Bambuí, trabalham sem qualquer funcionário administrativo, muitas vezes sem sequer estagiários remunerados como é o caso de Bambuí.


JCanastra - Qual é a missão da Defensoria: garantir os direitos e o acesso à Justiça dos pobres, ou defender direitos difusos?
Dra Natália - A missão precípua da defensoria pública é garantir, como consta do art. 3º-A da Lei Complementar nº 65/2003 são: promover a dignidade da pessoa humana e a re-dução das desigualdades sociais; afirmar o Estado Democrático de direitos; garantir a efetividade dos direitos humanos e garantir a efetividade dos princípios constitucionais da ampla defesa, do contraditório, do acesso á ordem jurídica e do devido processo legal.


JCanastra - Cabe à Defensoria propor ação civil pública?
Dra. Natália - Sim, uma das funções que cabe ao órgão de execução , constante do art. 45 da Lei 65/2003, inciso XXII é o patrocínio da ação civil pública nos termos da lei.


JCanastra Em quantos processos a Defensoria atuou nos últimos anos?
Dra Natália - Em Bambuí são inúmeros processos, apenas na área cível desde 2011, são mais de 3.120, ações iniciais cíveis, sem falar em contestação, processos penais, possivelmente atuação em mais de 5000, processos desde que assumi a comarca”finaliza Dra. Natália de Castro Torres.

Mais Artigos...

Festival de Dança de Bambuí