23
Sáb, Jan
ptenfres

Era dia 23 de dezembro e recebi pelo celular a notícia: “Voluntários vão passar noite de Natal online com quem está sozinho”. Cliquei sem pensar duas vezes e senti que era com aquelas pessoas que eu passaria meu Natal.

No apartamento havia somente eu e minha esposa, minha filha foi passar o Natal com os avós em Bambuí-MG. Logo eu, apaixonado pelas comemorações, iria passar em casa, longe de todo mundo, principalmente da minha família.

A primeira frase da notícia era “O Natal deve ser solidário, não solitário”. E é isso que fez o encontro especial na quinta-feira, dia 24 de dezembro, pela internet. Eu e minha esposa fomos voluntários, e também fui paciente, nos fizemos companhia para pessoas que estavam sozinhas, assim como nós, em casa.

A ideia era incrível, e necessária: espantar a solidão, a melancolia e a depressão de quem não teria condições de ficar com a família, neste Natal atípico provocado pela Covid-19. Na vídeo chamada, conheci Renata, a autora da ideia, que compartilhou em uma entrevista:

“Várias famílias vão se reunir online, não é? Então pensei em fazer o mesmo, só que, ao invés de me reunir com minha família, vou confraternizar numa grande roda de conversa com quem estiver sozinho neste Natal. Vamos doar nossa noite, nosso tempo, oferecendo companhia e uma boa conversa entre todos os participantes”, ela não sabia que, ao clicarmos botões, viraríamos família. Como mágica, trocamos ideias e experiências de quem já conversava uma vida toda.

Na noite, comi pizza e tomei vinho, entramos madrugada a dentro contando nossos sonhos, nossas queixas, nossas reflexões, encontramos pessoas que se doavam totalmente ao pais já  idosos, outras que perderam pessoas queridas, pessoas com filhos, sem filhos, de cabelos azuis ou longos. Gente, muita gente, que vibrava numa mesma sintonia, a do AMOR.

Ali, encontrei paz. Ali, encontrei o Cristo vivo. Não foi preciso me mover até Ele, Ele veio até mim pelo sorriso e pela história de tantas pessoas. Foi incrível. Mágico. Transcendeu. Foi um milagre, o milagre do amor.

Hoje temos um grupo, queremos nos ver todos os meses, pessoas de todos os Estados, de todos os sorrisos, de todas as cores, de todo coração. Pessoas que querem um mundo melhor, mais humano, mais colorido, vivo.

Começo o ano assim, cheio de esperança. Que venha 2021! Que venha a vacina! Que venha mais e mais Amor!

                                                    Giordânio Lasmar - @giolasmar
“Publicitário e comunicador nato. Ama arte, moda e blogar,
idealmente tudo ao mesmo tempo.

 

Vocês dedicaram, trabalharam e conquistaram!


Parabéns a todos pelo excelente trabalho! É por isto, que vocês fazem parte da lista dos

“Melhores do Ano”, de 2020, de Bambuí!

 


Vocês contribuíram para melhorar o espaço em que vivem!

Esta conquista é de vocês e merecem ser homenageados pela equipe do Jornal da Canastra!


Que Deus os abençoe e continue iluminando-os pelo seu trabalho e profissionalismo, na comunidade em que vivem!

E o futuro estava ali, diante de mim. Guardei a carta novamente, e me preparei, ou pelo menos achei que estivesse preparado para o tempo que viria, o tempo da pandemia. Foram meses fechados dentro de casa. O medo da doença me assolou como quando vou à barbearia, e sinto a todo momento que o barbeiro vai me machucar com a navalha, por isso detesto barbearia, e tenho pavor à doença.


A pandemia me colocou para dentro de casa e para dentro de mim. A minha busca incessante pelo autoconhecimento foi intensificada e quando vi, tirei o projeto do papel e vi tornar-se realidade. Como consequência, ganhei os palcos, virei apresentador de lives, recebi convite para escrever um livro, fui convidado a posar para um projeto lindo sobre “O que é ser homem para você?”, sendo desenhado em carvão por um artista, e por último, mas super importante, esse espaço aqui, escrever para vocês.
Mesmo em meio a todos os desafios, vale à pena arriscar-se e seguir por caminhos diferentes.Talvez eles sejam os seus caminhos. Sentir o frio na barriga, aprender, reconstruir. Olhar para frente com positividade. É verdade que atraímos o que transmitimos.


Como meu último texto do ano, aproveito para desejar a vocês, leitores, um 2021 surpreendente, mas de coisas boas. Que todos os dias sejam dias felizes, de esperança, amor, saúde. E que o ano novo traga, junto aos seus desafios, coragem para viver a nossa infinitude de ser quem somos. Fica aqui também o meu sentimento por aqueles que se foram ou perderam alguém para essa doença, ou não, que sejam vistos como luz.


Que venha 2021! Espero que mais uma década, uma cápsula, tanta história, tanto de mim.

Giordânio Lasmar - @giolasmar
“Publicitário e comunicador nato, há mais de 8 anos com experiência em departamentos de marketing. Ama arte, moda e blogar, idealmente tudo ao mesmo tempo.



Você já teve algum desejo do fundo do seu coração realizado? Eu já! Ser pai.

Vi a Naya Lua enxergar o mundo  pela  primeira  vez, vi o umbiguinho cair, ajudei a curar,  dei o terceiro  banho  e  daí para a frente, a gente sempre faz muita bagunça
debaixo do chuveiro. Fiz a primeira papinha, vi ela se melecar com as primeiras frutas, cuidei de febre (desesperado), de vomitado, de alergia. Corto as unhas, amarro o cabelo, vi o cabelo dela cair e depois preencher com o tempo, vi os primeiros passos...estava junto quando soltou um “papai”, não recebi por áudio de WhatsApp, nem vídeo.

A minha escolha transcendeu qualquer experiência profissional que eu poderia ter vivido. A dedicação, ao longo desses quase quatro anos, me preencheu de maneira intensa e completa. Dar atenção aos filhos passou da raridade à realidade, já que a pandemia deixou todos "presos" dentro de casa e forçou um relacionamento que antes, não era convencional, nem mesmo pela convenção de serem pais.

No tempo de vida da minha filha, percebi seus traços, seu desenvolvimento, seu  jeito de falar, de andar, de pensar, de agir. Te convido a perceber isso com os seus filhos também!  Concluí que, mais valia o tempo com ela do que com qualquer trabalho no mundo. Ter o seu amor é melhor do que tentar comprá-lo. Percebi que cuidar com pouco, é melhor que comprar o muito e não cuidar nada.

Ao conversar com a equipe de coordenação da escolinha dela, sempre me atento em dar o melhor de mim, afinal, acredito que só conseguiremos viver em um mundo melhor se começarmos a investir no relacionamento familiar, na educação e cultura dos nossos pequenos. Tornar mais humano esse contato. Nós somos homens, pais, e o nosso papel vai além de prover um lar, temos que prover o coração, semear amor e gratidão. E isso, caro leitor e leitora, dinheiro nenhum no mundo paga.

Doe tempo ao seus, esse é o maior segredo para a felicidade, e o maior tesouro do universo.

“As altas montanhas, as nuvens, as catadupas, os grandes rios, as árvores seculares, serviam de trono, de dossel, de manto e cetro a esse monarca das selvas cercado
 de toda a majestade e de todo o esplendor da natureza.” (José de Alencar, O Guarani - Cap IV, XI)

 
 

 

Giordânio  Lasmar - 

  @giolasmar  

“Publicitário e comunicador nato, há mais de 8 anos com experiência em departamentos de marketing. Ama arte, moda e blogar, idealmente tudo ao mesmo tempo".

 

Mais Artigos...

Festival de Dança de Bambuí