16
Qui, Set
ptenfres

Por um momento hoje, tive um pensamento engraçado, eu tava tentando tirar a roupa, depois de ter chegado com a Naya da escola, só que eu não conseguia. Foram minutos desesperadores, ela pedindo água, a camisa garrada e o coturno que não desamarrava.
Sentei ela no meu colo, eu tava pingando de suado, custei a desamarrar a bota, depois sai correndo tirando a roupa e ela gritando atrás “papapa!”
Pensei: “Como que era simples fazer isso sem filha, agora parece impossível.
Puts, rapidamente me senti pai. Pai é isso, tem dias que são difíceis de comer (almoço, lanche ou janta), noites que o relógio parece que para e o termômetro só aumenta. Nesse dia aí mesmo, dessa foto, tinha levado ela no pronto socorro, tava tossindo, estado febril...e depois levei ela no zoológico, acho que era eu que queria dar uma espairecida kkkk
É louco. Tem dias loucos. Tem dias lindos. Ninguém conta isso pra gente. Por isso nossos pais falam: “vc vai ver quando tiver filhos”. Confesso, estou vivendo.
Talvez, isso aqui soe meio estranho, soe como algo ruim. Mas entenda, não é só a maternidade que é romantizada, eu diria que a paternidade é facilitada, quase que comprada (já que o pai tá preocupado com o dinheiro- segundo a sociedade), só que na realidade, a paternidade é suada, é sofrida, doí e olha que não tem dinheiro no mundo que compre ser, viver, pai.
Padecer no paraíso!? Acredito que sim!
Feliz Dia dos Pais!

Giordânio Lasmar - @giolasmar
Feliz Aniversário Bambuí, obrigado por tudo!

 

 Dia da Vovó é celebrado em 26 de julho,

em homenagem à Santa Ana!


Parabéns as jovens e lindas vovós brambuienses! 

 

 

Ser diferente, fazer diferente. Acreditar que tudo é possível, sonhar de olhos bem abertos acreditando fielmente ser realidade. É fazer da sua casa, seu quarto, um novo mundo, quem sabe Shangri-la? É ajudar a velhinha na rua ou, levantar e deixar a grávida sentar-se no ônibus sem fingir que está dormindo. É pedir benção para os pais, avós, tios e padrinhos. É escutar rock, funk, MPB, indie e árabe. É levantar-se de bom humor, é lavar a louça sorrindo e limpar a casa dançando. Abraçar. Falar sozinho ou com seu irmão gêmeo no espelho. É mexer no cabelo que nem louco durante o trabalho. É vestir o que gosta e ligar o botão do” FOD*-SE” pro que pensam ou deixam de pensar. É escutar música no foninho e dançar na praça, na rua, no trabalho, no ônibus. É enfrentar os medos, chorando. É ter segredos. E aceitar que existem pessoas falsas, nem por isso você também será. É deixar de ser conveniente. É viver: Confiança, Respeito, Amor. É abrir o coração, dar a cara tapa, amar. É pegar uma folha de uma planta da rua, cheirar e lembrar da infância. É levar para o seu amor aquilo que você viu que o lembrava. É sensualizar no banho quando o aleatório cai em uma música “transante”. É atender as visitas com comida boa e fartura. Vestir de papai Noel no Natal e arrancar sorrisos de crianças. É levar flores enquanto estamos vivos, no cemitério? Não adianta. É conversar, por WhatsApp ou ao vivo. Saber capinar ou fazer trabalhos artesanais. É não saber jogar futebol, mas saber fazer malabarismos. Deixar se levar pelo coração quando a mente manda e deixar o coração se levar quando o coração manda. É casar. Arriscar planejando. Tatuar. É não ter respostas, buscar conhecer, transformar, evoluir. É viver. É desagradar com educação. Persuadir. É abrir o coração. É acreditar fielmente em Deus. É fugir dos padrões. É interpretar ou conhecer melhor você. É ser para depois ter. É ser sincero com você. E ser VOCÊ.
Há 10 anos saí de Bambuí, mas tudo isso aprendi aí, são minhas raízes, meus primeiros passos. Conheci sabores e cheiros que jamais irei esquecer e para sempre, em qualquer lugar, levarei essa cidade tão querida e amada por mim no coração, mas lembrem-se: a cidade é feita de gente e foi essa gente que me fez chegar até aqui e ser eu, em plenitude.

 


Giordânio Lasmar - @giolasmar

Mais Artigos...

Festival de Dança de Bambuí