05
Ter, Jul
ptenfres

Ferramentas

Um pouco antes da pandemia, foi a primeira vez da Naya Lua, minha filha, foi ao circo.

Espoletou na arquibancada no início e depois sentou no meu colo, ficou atenta a tudo e batia palma são final de cada apresentação, até dormiu, bem relaxada de tanto que gostou do ambiente!

Foi lindo de ver o rostinho atento, o coração disparado, as palminhas, ela dançando ao som das
músicas.

A experiência valeu cada minuto, sou apaixonado com a arte circense e todo ano meus pais faziam questão de levar a gente toda vez que o circo passava na cidade.

Me senti o melhor pai do mundo com ela ali, mostrando desde cedo que o mundo é mágico, é lindo!
Não quero que tirem dela isso que meus pais não deixaram tirar de mim, a felicidade, a graça, a mágica de estar vivo e de achar o mundo fantástico, igual no circo! E é exatamente igual a como quero que inicie esse novo ano!

A Graça por estar vivo! A Mágica das cores, dos sons, do movimento, da arte! O poder transformador os olhares, dos sorrisos. A sabedoria pelos desafios. E os sonhos, jamais impossíveis.

Que venha 2022!
Feliz Ano Novo!

Gio Lasmar
@giolasmar

“Publicitário e comunicador nato. Ama arte,
moda e blogar, idealmente tudo ao mesmo tempo

 

Festival de Dança de Bambuí