17
Ter, Set
ptenfres

Ferramentas

O médico endocrinologista Hermes Pardini, dono de laboratório de exames que leva o nome dele, morreu nesta terça-feira (13) aos 85 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do laboratório.

Ele estava internado no Hospital Mater Dei e faleceu devido a complicações de uma pneumonia.

Com espírito inovador, Dr. Hermes investia seu tempo, estudos e amor ao novo negócio. Observando o movimento de envio de amostras mais complexas dos belo-horizontinos a laboratórios do Rio de Janeiro ou de São Paulo, decidiu adquirir equipamentos para realizar modernos exames, como os de tireoide. E foi desta mesma maneira que ampliou sua atuação para um laboratório geral de patologia clínica.

Em 1975, inaugurou uma nova sede, na Rua Aimorés, no bairro Funcionários, que ainda hoje é uma das principais unidades de atendimento ao paciente. Graças ao conhecimento técnico e à inovação empreendidos, o crescimento exponencial levou a empresa a investir em outras áreas de negócio. Em 1997, a empresa foi pioneira no Brasil a prestar serviço de terceirização de exames, área que atualmente atende a quase 6 mil laboratórios parceiros em todo o Brasil.

Em 2006, ele se afastou do cotidiano da empresa, assumindo o cargo de presidente do Conselho da Família.

Maior centro de exames do mundo

Em entrevista ao jornal O TEMPO em outubro do ano passado, o vice-presidente comercial e de marketing do Hermes Pardini, Alessandro Ferreira, informou que o Hermes Pardini produz 8,5 milhões de testes por mês.

Em 2018, realizou mais de 92 milhões de exames em todo o país. São 120 unidades próprias, em Minas Gerais, Goiás, São Paulo e Rio de Janeiro, além de quase 6 mil laboratórios parceiros.

Além disso, 82% dos testes laboratoriais são feitos conforme o modelo de automação total. Com isso, a empresa se tornou o maior centro de exames do mundo.

Com Helenice Laguardia- Jornal O Tempo

Festival de Dança de Bambuí